Avenue dá a senha para levar 220 milhões de desbancarizados globais aos EUA

Com a conta corrente que acaba de ser lançada, a Avenue pretende mudar a vida financeira dos brasileiros. Entenda como isso pode revolucionar o setor e ajudar na inclusão de milhões de pessoas ao mercado americano

0
568
Leia em 5 min

O jeito tranquilo e pausado de falar esconde as fortes emoções vividas nos últimos dias por Roberto Lee, fundador e CEO da Avenue Securities, corretora que tem como foco permitir que brasileiros invistam nos Estados Unidos.

Depois de meses de preparação, a empresa colocou no ar, na segunda semana de setembro, o Avenue Banking, a sua conta corrente no exterior. “É realmente fantástico ver isso acontecer”, diz Lee. “Um sonho de vida foi realizado.”

O Avenue Banking representa, de fato, um dos passos mais audaciosos da indústria financeira brasileira. Agora, qualquer um, independentemente do tamanho do bolso ou da experiência com investimentos, pode ter acesso a uma conta de pagamento e cartão de débito internacional.

Não há exigência de movimentação mínima para validar a conta, o que abre a perspectiva de ter um cartão de débito internacional praticamente para todo e qualquer cidadão brasileiro.

Lee gosta de dizer que há no Brasil 220 milhões de desbancarizados internacionais. “Com este projeto, nós abrimos infinitas possibilidades financeiras para os brasileiros”, diz Lee. “Quando você tem uma conta nos Estados Unidos, se conecta com o mundo inteiro.”

O fundador da Avenue não está exagerando. A iniciativa permite que os clientes realizem pagamentos nos Estados Unidos e usem o cartão físico ou até mesmo digital, via terminais com tecnologia NFC, para sacar dinheiro em qualquer parte do mundo. Está nos planos, também, a possibilidade de transferências em dólar entre contas da Avenue e o envio de valores para outros bancos americanos

Digamos que o correntista da Avenue esteja em Londres, Nova York ou Moscou – qualquer lugar, na verdade – e precise de dinheiro vivo. Basta pegar o cartão, ir ao caixa eletrônico e sacar o valor desejado.

A comodidade elimina uma das tarefas mais desgastantes nas viagens internacionais: o planejamento financeiro. Quando você vai ao exterior, precisa comprar dólares antes.

Com a conta bancária e de investimentos nos Estados Unidos, o cliente da Avenue vai construindo uma vida financeira em dólar – e depois basta usar o cartão de débito internacional da maneira que quiser. A remessa é feita rapidamente por meio da solução de câmbio integrada da Avenue.

Ao fazer isso, lembra o empreendedor, o viajante se livra inclusive das taxas abusivas cobradas nas operações de câmbio nos aeroportos.

A redução de custos é uma das vantagens mais visíveis para os correntistas de uma conta aberta nos Estados Unidos. Compras internacionais feitas com cartões de crédito brasileiros pagam 6,8% de IOF. Com o cartão internacional, o percentual cai para 1,1%.

A redução de custos é uma das vantagens mais visíveis para os correntistas de uma conta aberta nos Estados Unidos

Não é só. Apesar da intensa globalização dos últimos anos, ainda há incontáveis empresas baseadas nos Estados Unidos que não fazem negócios com pessoas que não têm conta no exterior. Com o cartão da Avenue Banking, essa barreira é superada.

Ainda serão lançadas muitas outras novidades. Por exemplo, a conta vai permitir que os clientes recebam diretamente em suas contas valores em dólar depositados por empresas americanas.

Se, por exemplo, um consultor baseado no Brasil prestou um serviço remoto para uma companhia dos Estados Unidos, ele poderá receber o pagamento através da Avenue Banking.

Um caso típico dos novos tempos são os influencers. Muitos deles, como os YouTubers, são sempre remunerados em dólar. Agora, vai ficar mais fácil para essa turma receber o dinheiro.

Tudo isso explica por que a Avenue Banking recebeu 37 mil pedidos de abertura de conta apenas nos dois primeiros dias de operação. A fila de espera foi encerrada na semana passada, e agora todos os investidores da Avenue já podem solicitar o acesso ao Avenue Banking.

“Pretendemos em pouco espaço de tempo embarcar a conta corrente para todos os nossos clientes da área de investimentos”, diz o fundador da Avenue.

Ele diz que o cliente não perderá mais do que 5 minutos para abrir a conta, exatamente o mesmo tempo gasto na realização do cadastro da corretora.

Não há exigência de movimentação mínima para validar a conta. Por isso mesmo, o potencial do projeto é imenso. Ele atende dos executivos do topo da pirâmide ao jovem em início de carreira – literalmente, qualquer pessoa.

A conta corrente é o que a indústria financeira chama de backbone (espinha dorsal) para vários outros serviços financeiros – por isso, ela vem antes. A partir da conta, é possível acoplar vários projetos.

A ideia da Avenue é oferecer, em breve, todos os serviços de banking. No curto prazo, a próxima frente de atuação será no desenvolvimento de um cartão de crédito. Seguros e empréstimos, operações típicas dos bancos tradicionais, também estão no horizonte da Avenue Banking.

A Avenue Securities tem dado notáveis contribuições para a transformação da indústria financeira brasileira. Ela nasceu em 2018 com a missão de abrir as portas do maior, mais eficiente, mais seguro e mais regulado mercado do mundo: o americano

Sua missão foi bem-sucedida. Em 2018, menos de 50 mil brasileiros faziam investimentos diretos nos Estados Unidos. Sozinha, a Avenue tem agora 320 mil clientes. Atualmente, o valor sob custódia está em R$ 5,5 bilhões.

O brasileiro, ressalta Lee, descobriu que não faz sentido ficar fora do mercado financeiro americano. Nem como investidor e, agora, nem como correntista.

Para saber mais sobre o Avenue Banking, clique aqui.

Leia também