Com novos parceiros, PicPay acelera marketplace financeiro

Marketplace de produtos financeiros do PicPay bate recordes em seu primeiro ano de operação. Compra do Guiabolso, integração de novos parceiros e uso da inteligência de dados foram vitais para o resultado

0
370
Leia em 5 min

Frederico Trevisan, head de marketplace financeiro do PicPay

No final de 2021, a carteira de crédito pessoal do PicPay chegou a R$ 780 milhões, sendo que um ano atrás o número mal chegava a R$ 1 milhão. Embora o produto seja recente, o total de contratos já está na casa dos 620 mil.

Os dados relativos aos cartões também impressionam. Em janeiro de 2021, o PicPay havia emitido aproximadamente 2 milhões de cartões. Agora, a base conta mais de 12 milhões.

Os indicadores financeiros são igualmente superlativos. No último trimestre de 2021, o PicPay Card movimentou cerca de R$ 3,4 bilhões (TPV, na sigla em inglês), ou dez vezes o valor transacionado em igual intervalo de 2020.

Não é só. De janeiro a dezembro de 2021, o TPV totalizou R$ 7,6 bilhões – quase metade desse valor é fruto das operações realizadas no último trimestre. Ou seja, elas ganharam tração no final do ano, movimento que certamente impulsionará os números de 2022.

Os números acima são uma amostra da força do marketplace financeiro do PicPay, que completou em 2021 o seu primeiro ano de operação. Apesar da curta existência, ele já tem resultados consistentes a apresentar.

Nele, é possível solicitar crédito pessoal até com garantia de automóvel, encomendar cartão de crédito ou débito e obter recursos pelo modelo P2P lending, que consiste no empréstimo entre pessoas.

“As nossas operações já são comparáveis às dos grandes players que estão há muito mais tempo no mercado”, afirma Frederico Trevisan, head de marketplace financeiro do PicPay. “De fato, crescemos rapidamente, mas estamos preparados para acelerar ainda mais.”

No último trimestre de 2021, o PicPay Card movimentou cerca de R$ 3,4 bilhões (TPV, na sigla em inglês), ou dez vezes o valor transacionado em igual intervalo de 2020

Afinal, o que explica o avanço explosivo do marketplace financeiro do PicPay? A combinação de diversas iniciativas adotadas recentemente está por trás do desempenho.

Trevisan lembra que a compra, em julho do ano passado, do Guiabolso, fintech especializada em agregadores de contas e precursora do Open Banking no Brasil, deu um empurrão para os negócios. A rápida integração entre as empresas tornou o marketplace mais vigoroso, abrindo o leque de produtos oferecidos na plataforma.

O ecossistema do PicPay passou a integrar os serviços do Guiabolso apenas cinco meses depois de a aquisição ser formalizada. Já em dezembro, o PicPay anunciou as entradas de BV, Creditas, Digio, Empréstimo Sim e PortoCred no seu marketplace. Eles juntaram-se ao Banco Original, formando assim o time de parceiros que fazem parte do marketplace de empréstimos atualmente.

Além de integrar mais parceiros, o Guiabolso antecipou os benefícios do Open Banking. Isso porque basta ao usuário compartilhar as informações de uma ou mais contas bancárias de outras instituições para ter acesso às ofertas de empréstimo pessoal dos novos parceiros, exatamente como será quando o Open Banking estiver totalmente implementado.

O head do marketplace aprofunda a questão. “O compartilhamento de informações pelos usuários ajuda a garantir uma melhor oferta de crédito, aquela que é mais adequada para cada perfil”, diz o executivo.

Nesse contexto, a inteligência de dados é outro fator importante para impulsionar o marketplace. Uma vez que o usuário conecta a sua conta na plataforma, as informações trazidas por ele permitem que o PicPay saiba qual produto será mais eficiente.

Isso só é possível graças à aplicação de recursos de inteligência artificial, data analytics e machine learning. Ao analisar os dados do cliente e até seus hábitos – como são, digamos, as compras que faz na Store (loja do app) ou com que frequência a pessoa paga boletos –, o marketplace do PicPay consegue ser mais assertivo na oferta de produtos.

“Desde o começo do marketplace entendemos que era fundamental conhecer o cliente e usar o máximo de inteligência de dados para a distribuição de produtos”, ressalta Trevisan

“Desde o começo do marketplace entendemos que era fundamental conhecer o cliente e usar o máximo de inteligência de dados para a distribuição de produtos”, ressalta Trevisan. “A partir das informações transacionais do PicPay, foi possível modelar o crédito e trazer o que é melhor para cada cliente em especial.”

A alta personalização se traduz em maior efetividade nas operações. Não adianta o marketplace oferecer um crédito pessoal se o usuário busca naquele momento um cartão de crédito com cashback. Seria inócuo.

Por outro lado, a personalização ajuda o PicPay a saber que um crédito com garantia de veículo, produto recém-incorporado ao marketplace, é exatamente o que o cliente necessita.

Outra estratégia que ajudou a alavancar o marketplace é o chamado cross selling, que retroalimenta a operação. À medida que o marketplace passa a oferecer novos produtos, os usuários ficam mais engajados – e, portanto, o poder de escala do PicPay aumenta.

Alguns números confirmam a teoria. Segundo dados do terceiro trimestre, os usuários que baixaram o app de pagamentos em 2021 levaram 20% do tempo para usar mais de três produtos do portfólio em comparação com os usuários antigos.

Não é difícil entender, portanto, por que o marketplace financeiro alcançou números expressivos em 2021. E o PicPay não vai parar por aí. Segundo a empresa, a ideia é oferecer a maior gama possível de produtos e serviços para os seus mais de 60 milhões de clientes.

Leia também