Inter avança no home broker internacional apostando na simplicidade

Em apenas seis meses de operação, plataforma de negociação de ativos nos Estados Unidos hospedada no Super App do Inter já soma mais de 100 mil usuários

0
0
Leia em 5 min

No dia 23 de junho, o Inter passou a negociar suas ações na Nasdaq, a bolsa de tecnologia dos Estados Unidos. A estreia no mercado americano, o mais importante do mundo, representa um marco histórico para a instituição, mas não é o único roteiro traçado em sua jornada de internacionalização.

Se o Inter foi aos Estados Unidos, as pessoas físicas também podem migrar seus recursos para lá. Desde o final do ano passado, a Inter Invest, braço de investimentos do Inter, se adiantou em relação ao mercado e passou a oferecer aos clientes o acesso para investir em ativos no mais pujante mercado do planeta.

Isso foi possível a partir de uma parceria com a Apex, empresa americana constituída e autorizada a operar nos Estados Unidos. Com o acordo, a plataforma de investimentos fornecida pela Apex foi hospedada no Super App do Inter e os ativos passaram a ser negociados por essa ferramenta.

Os números comprovam que a decisão de facilitar essa negociação de forma pioneira no mercado bancário brasileiro foi certeira. Embora recente, o projeto rapidamente ganhou impulso. No final do primeiro trimestre, a plataforma que permite investir diretamente nos Estados Unidos contabilizava 54 mil contas ativas, volume expressivo dado o curto prazo de operação.

Agora, já são mais de 100 mil usuários, o que mostra que o crescimento segue em ritmo acelerado. Significa que, em apenas seis meses de atividade, a parceria já responde por cerca de 10% do mercado de brasileiros que investem no exterior. Nunca o Inter justificou tanto o próprio nome.

O que explica o movimento? “Os Estados Unidos são o coração financeiro do mundo, com empresas e indivíduos enviando e recebendo recursos a partir de lá. Em investimentos não é diferente, já que as bolsas americanas concentram grande parte do volume e emissões globais”, afirma Felipe Bottino, diretor da Inter Invest. “Dessa forma, é inviável pensar em qualquer exposição ou atividade global sem uma presença forte neste mercado.”

Para ser protagonista, a Inter Invest apostou na estratégia da simplicidade. De fato, acessar os produtos – como ações das maiores empresas do mundo, ETFs e REITs – é fácil e rápido.

“Com esse suporte e as diversas funcionalidades que a nossa plataforma traz, podemos dizer com absoluta certeza que oferecemos uma experiência completa de investimentos para os clientes”, pontua Bottino.

O primeiro passo para os investimentos internacionais é baixar o Super App do Inter. Depois de abrir a conta corrente digital, completa e 100% gratuita, o cliente vai encontrar uma interface em português e total facilidade para abrir a conta com a Apex Fintech Solutions e começar a investir no mercado internacional.

A partir dessa ponte, no mesmo ambiente digital, o investidor pode comprar, por exemplo, ações de grandes empresas americanas negociadas nos Estados Unidos ou, se preferir, operar na B3. “Essa era uma demanda muito forte de nossos clientes. A migração entre plataformas fica clara para o cliente, mas essa integração e consolidação são de fato a grande tendência do mercado de investimentos global”, revela Bottino.

Felipe Bottino, diretor da Inter Invest

O fato de o Inter ser um Super App traz inúmeras vantagens. Além do acesso para desbravar o mercado estrangeiro, o investidor que voltar os olhos para o Brasil conta com serviços como até 100% de cashback de fundos, marketplace de robôs de investimentos que permitem operar minicontratos de índice e dólar, entre outras funcionalidades para simplificar a vida dos clientes.

Além disso, o foco do Inter no mercado americano não se restringe ao universo dos investimentos. No início do ano, a companhia concluiu a aquisição da USEND, fintech norte-americana especializada em remessas internacionais, e agora acaba de lançar uma nova experiência 100% integrada ao Super App para a global account, que é a conta internacional com saldo em dólar, cartão de débito e transferências globais aos seus clientes.

No caso específico do aplicativo do Inter, Bottino lembra que os APIs integrados das operações nacionais e internacionais representam comodidade para os investidores. “Onde estiver, o usuário contará com os mesmos serviços, seja na Faria Lima, em São Paulo, ou em Wall Street, em Nova York”, afirma.

“Onde estiver, o usuário contará com os mesmos serviços, seja na Faria Lima, em São Paulo, ou em Wall Street, em Nova York”, diz Felipe Bottino, diretor da Inter Invest

Bottino elenca alguns diferenciais que tornam a plataforma Inter Invest mais atrativa. Assim como nas negociações na B3, não há cobrança de taxa de corretagem nas transações internacionais e para a abertura ou manutenção de conta. Além disso, as taxas de câmbio são, segundo o executivo, as melhores do mercado.

Foco no varejo

A expressiva presença da Inter Invest no varejo é um aspecto que deverá acelerar o projeto de internacionalização. A plataforma já conta com mais 2 milhões de investidores, e muitos deles certamente estão dispostos a diversificar os aportes para além das fronteiras brasileiras.

“No mercado brasileiro, não há ninguém com foco único no B2C”, diz Bottino. “Portanto, vamos nos diferenciar também no relacionamento com o cliente.”

Iniciativas como essas reforçam a vocação para inovar que tem marcado a trajetória do Inter. O Super App foi o primeiro do Brasil a devolver até 100% da chamada taxa de rebate de fundos de investimentos, a zerar as taxas do home broker brasileiro e a pagar cashback de ofertas públicas.

Não à toa, a instituição tem colecionado uma série de prêmios. Em março, venceu a categoria “Investimentos – Bancos” da sétima edição do troféu “Estadão Melhores Serviços”, que aponta as empresas que oferecem as melhores experiências para os clientes em diferentes segmentos.

Foi o terceiro prêmio conquistado pela Inter Invest nos últimos seis meses. Em janeiro de 2022, foi escolhido no segmento de plataformas digitais da premiação “Melhor Banco e Plataforma para Investir (MBPI)”, concedida pelo Centro de Estudos em Finanças da FGV (FGVcef).

Em novembro de 2021, a Inter Invest foi eleita a melhor corretora digital do Brasil pelo prêmio “iBest.” Com a presença cada vez mais sólida em territórios internacionais, certamente novas premiações surgirão no caminho.

Leia também