Na previdência, Bradesco Asset ganha de goleada e é heptacampeã

Em 2021, a Bradesco Asset Management (Bram) fatura prêmios em sete categorias diferentes, consolidando-se como a principal gestora de fundos de previdência do Brasil. Entenda como conseguiu esse resultado

0
295
Leia em 5 min

No jogo da previdência, a Bradesco Asset Management (Bram) fechará o ano ganhando por goleada. Na edição 2021 do “Guia de Previdência Valor/FGV”, a casa ergueu sete taças diferentes, consolidando-se como a mais relevante gestora do Brasil.

A Bram conquistou o principal título ao ser escolhida a “Melhor Gestora Geral em Previdência” do país. Novas premiações vieram em outras seis categorias: “Melhor Gestora em Um Ano”, “Melhora Gestora em Três Anos”, “Melhor Gestora Previdência Ações”, “Melhor Gestora Previdência Multimercado”, “Melhor Gestora Previdência Renda Fixa” e “Seguradora.”

O resultado chama ainda mais a atenção considerando que 2021 não foi um ano qualquer. Na área dos investimentos, ele foi marcado pela alta volatilidade e por um cenário recheado de desafios, o que obrigou as gestoras a ajustar as suas estratégias à nova realidade.

Nesse contexto, a Bram apostou na diversificação. A decisão não poderia ter sido mais acertada. “Em um ambiente muito volátil, focamos na construção de portfólios diversos e equilibrados”, afirma Luiz Philipe Roxo Biolchini, diretor de investimentos da Bram.

O executivo destaca o tamanho da asset e sua posição no mercado como fatores essenciais para colocar em prática uma eficaz estratégia de negócios.

A Bram tem quase R$ 550 bilhões sob gestão, dos quais aproximadamente R$ 220 bilhões em fundos de previdência. “Com essa escala, podemos oferecer produtos de diferentes classes de ativos”, ressalta Biolchini.

O ano da Bram foi marcado por uma série de lançamentos na área de previdência. Chegaram ao mercado 19 novos fundos, número superior aos 17 apresentados em 2020.

O portfólio de previdência foi reforçado por produtos que investem em cotas de fundos negociados no mercado internacional. “Buscar oportunidades no exterior é um caminho natural quando falamos em diversificação”, diz o head de Soluções de Investimentos da Bram, Adilson Ferrarezi. “A capacidade para oferecer multi-estratégias e multiprodutos é uma característica marcante da asset”, acrescenta.

Não à toa, alguns fundos da Bram classificados como multimercado têm como principal foco investimentos no exterior. Em 2021, dados os desafios do cenário interno, o desempenho do mercado internacional superou com folga o nacional.

O mercado brasileiro de fundos de previdência privada ganhou impulso com a flexibilização das regras que regulam o setor. Desde 1º de janeiro de 2020, os fundos podem comprar mais ativos no exterior e alavancar seus investimentos, conforme as novas regras estabelecidas pelo Banco Central.

A Bram enxergou aí novas oportunidades e foi ágil para lançar produtos que se enquadrassem nessa perspectiva. A asset, portanto, estava preparada para aproveitar o movimento.

A tecnologia tem sido forte aliada na busca pela diversificação. Para analisar milhares de possibilidades de investimentos em diversas partes do mundo, a Bram investe em robôs que monitoram ativos e geram recomendações, que depois são chanceladas por profissionais humanos.

Com a ajuda da ciência de dados e de ferramentas quantitativas, a análise fundamentalista torna-se mais assertiva e, assim, passa a oferecer melhores perspectivas – e maior rentabilidade – para os investidores.

O pioneirismo é uma das marcas registradas da Bram. A gestora foi uma das primeiras do país ao lançar um fundo de dividendos em previdência destinado a investidores profissionais.

Premiada como melhor gestora de fundo de ações, a asset adota também a estratégia long only, Ibovespa ativo e small caps – o que, ressalte-se, está em sintonia com a permanente procura pela diversificação.

As conquistas da Bradesco Asset destacam ainda a sua forte presença em alguns nichos de mercado. A gestora é a maior captadora do país de fundos de crédito privado em previdência. Em 2021, esse tipo de produto levantou R$ 30 bilhões.

Outra aposta nos últimos anos foi a intensificação de parcerias com gestoras independentes. “Entendemos que isso gera valor para os clientes, principalmente em nichos onde não temos especialização”, diz Biolchini.

O diretor de investimentos da Bram destaca o fato de a gestora ter sido reconhecida por sua atuação em dois períodos distintos (um e três anos) e em diversas categorias (foram sete no total). “A palavra que vem daí é consistência”, afirma Biolchini. “Geramos valor em prazos e mercados diferentes.”

Confira a seguir os fundos de previdência da Bram classificados com 5 estrelas:

BRADESCO FIC RF ATHENAS PGBL/VGBL
O fundo de renda fixa busca oportunidades nos mercados domésticos de taxa de juros pós-fixadas e prefixadas.

CNPJ: 31.008.221/0001-30

BRADESCO FIC RF A PGBL/VGBL
O fundo de renda fixa investe em mercados domésticos de taxa de juros pós-fixadas, prefixadas e índices de preço, excluindo estratégias que impliquem risco de moeda estrangeira ou de renda variável.

CNPJ: 14.159.055/0001-53

BRADESCO FI MULTIMERCADO CRED PRIV PI XII
Seu foco são as diversas classes de ativos financeiros disponíveis nos mercados de renda fixa, cambial, renda variável, derivativos e cotas de Fundos de Investimento negociadas nos mercados interno e externo.

CNPJ: 26.243.418/0001-13

BRADESCO PRIVATE PERFORMANCE FIC FI RF CP PGBL/VGBL
O objetivo do fundo de renda fixa é capturar oportunidades nos mercados domésticos de taxa de juros pós-fixadas e pré-fixadas, mas com foco em títulos de crédito privado.

CNPJ: 32.312.116/0001-52

BRADESCO PRIVATE FIC AÇÕES DIVID PGBL/VGBL
O fundo investe em ações de companhias com histórico consistente de distribuição de resultados.

CNPJ: 31.008.416/0001-80

Para mais informações, clique aqui.

Leia também