Apresentado por Avenue Securities

Nos investimentos, o ativo mais valioso ainda é a informação

Para ajudar os seus mais de 200 mil clientes a navegar pelo enorme mercado americano, a Avenue criou um relatório mensal para sete perfis de investidores. Conheça a Seleção Avenue e saiba como usar essa poderosa ferramenta

 

No mundo dos investimentos, poucos ativos são tão valiosos quanto a boa e velha informação. É ela que ajuda na tomada de decisões, fornece as diretrizes para uma alocação financeira bem-sucedida e garante o mínimo de segurança para que as pessoas possam dar um destino adequado ao dinheiro.

Sem informação, investir é apenas um tiro no escuro, tão impreciso quanto um golpe de sorte. Oferecer informação de qualidade aos seus mais de 200 mil investidores é a premissa por trás da Seleção Avenue, relatório mensal produzido pela corretora Avenue Securities, principal porta de entrada para brasileiros interessados em desbravar o mercado financeiro internacional.

“O projeto nasceu da demanda de nossos clientes”, diz William Castro Alves, estrategista-chefe da empresa. “Muitos deles se assustam com o tamanho e a variedade de opções de investimentos nos Estados Unidos. Há muita coisa boa, claro, que nem todos conhecem. É preciso apresentar esse universo extraordinário.”

Lançado em janeiro, o relatório traz 35 ideias de investimentos para sete perfis diferentes de clientes. “Não se trata de recomendação de investimento”, reforça Alves. “Caberá à pessoa checar se as ideias se aplicam ao seu perfil e aos seus interesses.”

A sacada da Seleção Avenue está justamente no fato de elaborar possibilidades diferentes para uma ampla variedade de perfis. Não adianta apresentar, para quem não é agressivo, uma carteira focada em renda variável e com empresas desconhecidas. No campo oposto, não seria produtivo reunir ativos conservadores para os que são arrojados.

O primeiro dos sete perfis desenhados pela Seleção Avenue diz respeito aos investidores que buscam poucas emoções. Nesse caso, os cinco ativos selecionados são principalmente ETFs (Exchange Trade Funds) de renda fixa. Numa simplificação, um ETF é um fundo de investimento atrelado a um índice de referência, o que reduz substancialmente o seu risco.

O segundo recorte destina-se à pessoas que desejam investir de forma mais diversificada (ETF’s de ações, por exemplo). No primeiro relatório da Seleção Avenue, um dos ativos destacados é um ETF que rastreia ações de empresas globais que criam jogos para videogames, enquanto outro foca mercados emergentes – tudo em nome da diversificação.

“O interessante do projeto é que os ativos não são excludentes uns dos outros”, afirma Alves. “A pessoa pode comprar produtos de diferentes carteiras, desde que se sinta segura e confortável para fazer isso.”

Se o plano for buscar rendimentos em dólar, o relatório elenca cinco ativos que pagam bons dividendos. Na primeira versão da Seleção Avenue, fazem parte da lista a British American Tobacco, dona da marca Lucky Strike, e o Citi Group, um dos maiores conglomerados financeiros no mundo. Ambos são reconhecidos pelo pagamento de dividendos elevados.

“O relatório é bastante completo e abrange praticamente todas as possibilidades de investimentos”, diz William Castro Alves, estrategista-chefe da Avenue

O mercado imobiliário, um dos mais rentáveis do planeta, não poderia ficar fora do relatório – há um capítulo voltado a clientes que pretendem participar do setor. A Seleção Avenue apresenta cinco fundos imobiliários (identificados pela sigla REITs nos Estados Unidos) indicados essencialmente para investidores moderados e arrojados, que estão habituados ao mercado de ações.

O quinto grupo escolhido pela Avenue é formado por aqueles que pretendem colocar seus recursos em empresas de valor (é o chamado value investing). Num certo sentido, integram este time as barbadas do mercado de ações.

São gigantes como a petrolífera Chevron, uma das maiores do ramo no mundo, e a United Health Group, principal empresa de gestão de saúde dos Estados Unidos. “O relatório é bastante completo e abrange praticamente todas as possibilidades de investimentos”, diz o estrategista-chefe da Avenue.

A abrangência, de fato, pode ser percebida no sexto perfil visado pela Seleção Avenue: os investidores que se interessam por empresas menos conhecidas (as small e mid caps).

“O objetivo desta carteira é destacar companhias de menor porte que tenham grande potencial de crescimento”, explica Alves. Por isso mesmo, elas também são mais arriscadas e, portanto, indicadas para quem não se incomoda com fortes oscilações de preços.

O último perfil coberto pela Avenue diz respeito aos clientes que pretendem investir em empresas de tecnologia. Elas, ressalte-se, foram as grandes sensações da bolsa americana nos últimos meses. A boa notícia é que muitas provavelmente continuarão a ter bom desempenho no futuro próximo. O Google, por exemplo, está na primeira edição da Seleção Avenue.

O relatório será mensal, mas eventuais ajustes poderão ser feitos ao longo do período. Afinal, o mercado de investimentos é dinâmico e a ideia é prover os clientes da Avenue com informações de qualidade – e, claro, atuais. Conhecimento, como se vê, é um ativo que não tem preço.

Para saber mais ou abrir uma conta, clique em Avenue Securities

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO