O Sem Parar tem até tag de pedágio (e não para de inovar)

O Sem Parar, que lançou o primeiro sistema de pagamento automático do Brasil, oferece agora transações que podem ser feitas usando apenas o celular, aplicativo com marketplace e até cashback na compra de mercadorias e no abastecimento de veículos

0
90
Leia em 5 min

É possível usar o Sem Parar em mais de 1.300 postos de combustível

Uma piada define bem o rol de funções disponíveis hoje em dia em um smartphone. Eles fazem de tudo – até ligações telefônicas. Brincadeira parecida pode ser feita com o Sem Parar, maior empresa de pagamentos automáticos do Brasil.

O Sem Parar extrapolou tanto seu campo de atuação nos últimos anos e passou a proporcionar experiências tão diversas para os clientes que a mesma lógica pode ser aplicada. A companhia oferece, de fato, diversas soluções – até tag de pedágio, o sistema que a tornou conhecida no país.

A lista atual de produtos e serviços que fazem parte do portfólio da empresa é surpreendentemente extensa. Inclui de pagamentos pelo celular a loja virtual, de cashback a tags que saem de fábrica em carros zero quilômetro.

O alcance do Sem Parar só é possível graças a uma obsessão que a caracteriza desde que foi fundada, em 2000: a busca incessante pela inovação. É ela que determina cada passo da empresa.

“Inovar é construir formas mais simples de entregar serviços para os clientes”, diz Carlos Gazaffi, presidente do Sem Parar. “O nosso propósito é ajudar o cliente a otimizar o seu tempo, a ter mais conveniência no dia a dia. Para isso, é preciso inovar sempre.”

Gazaffi ressalta que o pioneirismo faz parte do DNA da empresa, a primeira do país a introduzir o sistema de pagamentos automáticos em praças de pedágio. Outras soluções inéditas vieram ao longo do tempo, mas os últimos meses têm sido especialmente produtivos para a companhia.

Recém-lançado no mercado, o Sem Parar Pay utiliza as conexões via bluetooth para a identificação de pagamentos em cabines de pedágio manuais e postos de abastecimento. Seu funcionamento é simples: o cliente ativa o aplicativo do Sem Parar, cria uma carteira pré-paga e adiciona fundos. Para usar o Sem Parar Pay, basta ligar o bluetooth do celular e deixar o app aberto.

Ao se aproximar da cabine de pedágio, deve-se informar ao operador que o pagamento será feito com o Sem Parar Pay, mas não é preciso sequer manusear o celular. O sistema, então, reconhece a carteira e autoriza a transação, em um processo praticamente imediato. A tecnologia pode ser utilizada por todos os motoristas e está disponível em diversas rodovias do país, inclusive a Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro (ou vice-versa).

O aplicativo do Sem Parar é o catalisador de diversas inovações. Um dos recursos que a ferramenta passou a incorporar recentemente é o cashback, modelo de recompensas que se tornou uma tendência marcante em diversos setores econômicos.

O Sem Parar foi a primeira empresa do ramo de pagamentos automáticos a oferecer a solução. Os clientes usufruem do cashback ao desembolsar ao menos R$ 100 para abastecer o carro nos postos de combustível credenciados.

Essa estratégia está presente em outra novidade criada recentemente pela companhia: o Sem Parar Shop, marketplace embarcado no aplicativo e que conta com 220 lojas parceiras. Entre elas, estão marcas consagradas do varejo, como Americanas, Shopee, Casas Bahia, Nike e Beleza na Web, entre outras. Em alguns desses estabelecimentos, o cashback para clientes do Sem Parar pode chegar a 15% do valor da compra.

O cashback reforça que o Sem Parar é muito mais do que uma empresa de tag para pedágios e estacionamentos. Ela traz também benefícios tangíveis para os consumidores – inclusive o dinheiro de volta. Nesse aspecto, chama a atenção um acordo com a gigante do turismo online Booking.com. Ao fazer a reserva de hotéis, o cliente recebe cashback na fatura do Sem Parar.

“Vamos avançar na estratégia de fechar parcerias com hotéis e atrações e usar a personalização de dados para fazer ofertas mais assertivas para cada perfil de cliente”, diz Gazaffi.

A companhia tem se consolidado, de fato, como uma máquina de inovação. Há dois anos, fechou uma parceria com a Volkswagen para que alguns carros fabricados pela montadora alemã saíssem de fábrica com a tag do Sem Parar.

O retorno dos clientes foi tão positivo que a iniciativa acabou sendo ampliada. Atualmente, sete montadoras integram o projeto. Além da Volks, Nissan, Mitsubishi, Hyundai, Suzuki, Toyota e Kia instalam agora em todos os modelos zero quilômetros a tag do Sem Parar. Ressalte-se que essas fabricantes respondem por cerca 50% do market share de veículos novos no Brasil.

Outras inovações no uso das tags também foram implementados recentemente. No ano passado, a empresa passou a oferecer o serviço em cerca de 100 condomínios residenciais e comerciais de São Paulo. O sistema de identificação usa a mesma tecnologia dos pedágios, conhecida como RFID, ou radiofrequência. Em 2022, o projeto será levado para outros 100 empreendimentos no Rio de Janeiro e no Paraná, mas a empresa já estuda ir a mais regiões.

O compromisso contínuo com a inovação se fortaleceu no final de 2021, quando a empresa lançou o hub de startups Inova Sem Parar. A ideia é acelerar projetos que ajudem o Sem Parar a entregar melhores serviços para os clientes. Segundo Gazaffi, 200 empresas se inscreveram no processo seletivo. Quatro delas foram escolhidas e estão sendo incubadas neste exato momento.

O Sem Parar tem metas audaciosas pela frente. Atualmente, 6 milhões de veículos possuem as tags da empresa, sendo que 60 milhões de automóveis circulam no país. “Imaginamos que seja possível buscar até 20 milhões de tags nos próximos anos”, diz Gazaffi.

A empresa está presente em 100% das praças de pedágio e tem 4 mil pontos de serviços urbanos – ou razões de uso, como diz a empresa -, incluindo estacionamentos, drive-thrus, postos de abastecimento, lava-rápidos e condomínios. O plano é chegar a 6 mil até o final de 2022. Entre os drive-thrus, são atendidos 750 restaurantes, inclusive as maiores redes do Brasil, como McDonald’s, Habib’s, Madero e Pizza Hut. No caso do abastecimento, são mais de 1.300 postos de combustível.

Seus resultados financeiros também são sólidos. Desde 2016, a companhia tem crescido a uma taxa média de 15% ao ano. O segredo é um só: inovar, inovar e de novo inovar. Sem parar.

Leia também