Oncoclínicas assina cheque de R$ 150 milhões e faz sua 2ª aquisição em 2022

O grupo anunciou a compra da Cemise, rede de clínicas com atuação no estado do Sergipe. O acordo prevê ainda um aporte de R$ 18,6 milhões para a expansão de uma das 10 unidades da empresa

0
334
Leia em 3 min

A Oncoclínicas captou R$ 2,6 bilhões em seu IPO no ano passado

O ano mal começou e a Oncoclínicas já está partindo para a sua segunda aquisição em 2022. Depois de fechar, em janeiro, a compra de 100% do laboratório Microimagem, por R$ 8 milhões, a empresa está divulgando um novo acordo nesta segunda-feira, 7 de fevereiro, pelo qual assinou um cheque bem maior.

A companhia acaba de anunciar a compra de 100% das operações da Cemise, rede de clínicas com atuação no estado de Sergipe, em uma transação que envolverá o pagamento de aproximadamente R$ 150 milhões.

Além dessa quantia, o acordo inclui ainda um plano de expansão para uma das unidades da rede em Aracaju, com um aporte de cerca de R$ 18,6 milhões, que será aplicado no decorrer do primeiro ano após a conclusão da aquisição.

Em fato relevante, a Oncoclínicas destaca que a Cemise é líder em especialidades médicas com foco em saúde integrada, prevenção e diagnóstico no mercado sergipano. A rede tem mais de 140 médicos em especialidades como urologia, mastologia, gastroenterologia e dermatologia.

“O modelo de atuação da Cemise é complementar e sinérgico ao da Oncoclínicas, uma vez que permitirá à companhia expandir na jornada da prevenção e cuidados oncológicos, combinando as já existentes clínicas de tratamento ambulatorial aos centros de especialidades e diagnóstico precoce do câncer”, destacou a empresa, no documento.

Em média, a Cemise realiza mais de 3 mil consultas e 80 mil procedimentos mensais, entre exames de imagem e análises clínicas, por meio de suas 10 unidades distribuídas nas cidades de Aracaju, Estância e Itabaiana.

Essa é a quarta aquisição realizada pela Oncoclínicas desde que abriu capital, em agosto do ano passado. No IPO, o grupo levantou R$ 2,6 bilhões, sendo R$ 1,7 bilhão na oferta primária. Além da Microimagem e da Cemise, a empresa comprou a Itaigara Memorial e, em seu maior acordo desde então, a Unity, por cerca de R$ 1,2 bilhão.

Juntamente com essas transações, a Oncoclínicas reservou R$ 41 milhões para comprar a fatia de 40% que ainda não detinha na Oncobio, unidade de tratamento de câncer em Nova Lima (MG). O grupo também vem investindo e fechando parcerias para expandir seus “Cancer Centers”.

Na primeira semana de janeiro deste ano, a empresa assinou um contrato com o Hospital Santa Izabel, em Salvador, para a instalação de uma unidade desse porte, com um investimento previsto de R$ 138,6 milhões ao longo dos próximos dois anos.

Antes, em dezembro de 2021, a Oncoclínicas fechou uma parceria semelhante com a Unimed Rio também para o desenvolvimento de um Cancer Center, que vai demandar um aporte de R$ 117,5 milhões em dois anos.

Desde que a Oncoclínicas abriu capital, suas ações acumulam uma desvalorização de 42,6%. A empresa está avaliada em R$ 5,4 bilhões.

Leia também

Brand Stories