Negócios

Terminou em pizza: dona do Burger King incorpora Domino’s no Brasil

Grupo responsável pelas operações do Burger King e do Popeyes no País, a BK Brasil anunciou um acordo com a Vinci Partners para assumir o controle da operação local da rede americana de pizzarias e abocanhar receitas em uma categoria que movimenta R$ 4 bilhões no País

 

Grupo responsável pelas redes de fast food Burger King e Popeyes no Brasil, a BK Brasil acaba de anunciar um acordo com a gestora Vinci Partner para incorporar a marca e a operação brasileira da Domino’s, rede americana de pizzarias, por meio de sua master franqueada, a DP Brasil.

A transação ainda depende da aprovação dos órgãos regulatórios. Uma vez que o acordo tiver o sinal verde nessa esfera, o que é esperado para acontecer no quarto trimestre, a BK Brasil passará a deter 100% do negócio.

A Vinci Partners, por sua vez, que foi responsável pela expansão da BK Brasil na fase pré-IPO e já detém uma fatia de 6,44% na holding, passará a ser a maior acionista do grupo, ao receber uma fatia adicional de 16,4% no acordo.

“A Domino’s é um ícone mundial, referência em pizza, delivery e uso de tecnologia, e estamos muito animados com o potencial desta operação e por passarmos a estar presentes em três categorias importantes, por seus tamanhos e crescimento: hambúrguer, frango e pizza”, afirmou, em nota, Iuri Miranda, CEO da BK Brasil, que permanecerá à frente da empresa.

Em fato relevante, a BK Brasil destacou que o mercado brasileiro é altamente fragmentado na categoria e estimou um potencial superior a 1.000 restaurantes nos próximos dez anos.

De acordo com a consultoria Euronomitor, a categoria de pizzas é a segunda maior no mercado brasileiro no segmento de entregas rápidas de restaurantes, com uma fatia de R$ 4 bilhões, um crescimento médio anual de 10,7% na última década e superada apenas pelos hambúrgueres.

A nova operação passa a contar com mais de 1,2 mil restaurantes em todo o País. Hoje, a rede da Domino’s tem mais de 300 unidades no mercado brasileiro, dos quais 213 são franquias e 90 são próprias. A marca mantém ainda uma fábrica em Itapecerica da Serra (SP), responsável pela produção das massas e insumos que abastecem suas unidades.

No fato relevante, a BK Brasil ressaltou que a categoria de pizzas traz uma complementaridade “significativa” para a diversificação do seu portfólio, tanto em produtos quanto em formatos de negócios.

Nesse sentido, o grupo irá avaliar a integração de formatos como delivery, produção e distribuição de insumos e o uso da infraestrutura de tecnologia da Domino’s, conhecida por seu avanço nessa ponta e no segmento de entregas.

Segundo a BK Brasil, a estrutura de gestão para garantir a agilidade das três marcas sob o seu guarda-chuva será mantida. Desde julho do ano passado, a operação local da Domino´s tem como CEO Fernando Soares, executivo com passagens pela Ambev e AB InBev.

Como parte da transação, a BK Brasil informou que irá propor em assembleia de acionistas a ampliação do número de integrantes do seu board de 7 para 9 membros. A ideia é preencher as novas vagas com representantes a serem indicados pelo Vinci Partners, sendo um deles Carlos Eduardo Martins, sócio da gestora e ex-CEO da DP Brasil.

No primeiro trimestre de 2021, a BK Brasil reportou uma receita operacional líquida de R$ 562,6 milhões, um recuo de 27,3% na comparação com igual período, um ano antes. Entre janeiro e março, o prejuízo foi de R$ 162,4 milhões. Em 2021, as ações do grupo, avaliado em R$ 3,15 bilhões, acumulam uma valorização de 5,41%.

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO