Insiders

Cinco bons livros para um ano ruim, segundo Bill Gates

Conhecido por ser um leitor voraz, Bill Gates sempre dá as suas dicas dos livros imprescindíveis para quem pretende entender o mundo e suas mudanças. No ano da Covid-19, ele listou cinco obras que passam pelo racismo estrutural, relatos de guerra e avanços científicos

 

Bill Gates ganhou mais de US$ 7 bilhões durante a pandemia

Mesmo tendo “engordado” sua fortuna em US$ 7,5 bilhões, o ano de 2020 não foi fácil para Bill Gates. O fundador da Microsoft relatou que no começo da pandemia, entre os meses de março e abril, teve dificuldades de ler por prazer. “Tudo o que eu queria fazer ao final do dia era desligar a minha cabeça enquanto assistia algo na TV”, escreveu o executivo em sua newsletter.

Um dos primeiros a prever o surgimento de uma pandemia que colocaria o mundo de joelhos por uma vacina, Gates se empenhou, ao longo dos últimos meses, em debater soluções e financiar iniciativas para descobrir uma cura. E, ao mesmo tempo em que aparecia sob os holofotes, foi alvo de muita fake news sugerindo que “ele havia planejado a pandemia”.

O apetite pela leitura voltou com o tempo e Gates, conhecido por ser um leitor voraz, confessa que sua “biblioteca” de 2020 é consideravelmente menor que a de outros anos, mas não menos interessante. O material foi mais do que suficiente para Gates criar uma bem-humorada lista com as cinco obras que mais gostou neste ano, num ranking que ele chama de “Cinco bons livros para um ano ruim”.

Gates abre suas recomendações com o livro A Nova Segregação: Racismo e Encarceramento em Massa, escrito pela defensora dos direitos civis e professora visitante no Union Theological Seminary, Michelle Alexander. “Como muitos brancos, eu tentei aprofundar meu conhecimento sobre o racismo sistêmico”, explica o empresário sobre sua escolha.

Segundo ele, a obra de Alexander é um “chamado à realidade” sobre as desigualdades do sistema criminal sofrida pela comunidade negra. Gates destaca a riqueza de dados com contextualização como ponto forte desta leitura. “Terminei o livro mais convencido do que nunca de que precisamos de uma abordagem mais justa para certas condenações e mais investimento nas comunidades negras”, diz. 

Sem tradução para o português, a segunda leitura indicada por Gates é a obra Range: Why Generalists Triumph in a Specialized World, de David Epstein. O livro questiona a supervalorização de especialistas e mostra porque o mundo precisa agora de pessoas generalistas. “Acho que essa ideia explica parte do sucesso da Microsoft, porque contratamos pessoas que têm grande amplitude em seus campos de conhecimento”, escreveu o fundador da Microsoft. 

Repórter investigativo, Epstein está no “radar” de Gates desde que subiu ao palco do TED, evento de discussão de ideias, em 2014. Na ocasião, o jornalista propôs uma nova análise do desempenho esportivo, colocando em xeque o senso comum de que somos mais rápidos, fortes e ágeis do que nunca.  

A lista de recomendações continua com a obra assinada por Erik Larson, The Splendid and the Vile: A Saga of Churchill, Family, and Defiance During the Blitz. O livro conta a história real de quando cidadãos ingleses passavam quase todas as noites amontoados em porões e estações de metrô para se proteger dos bombardeios da Alemanha, entre 1940 e 1941.

“O medo e a ansiedade que essas pessoas sentiram -– embora muito mais graves do que o que estamos experimentando com COVID-19 – soaram familiares”, relatou Gates, que elogiou ainda o trabalho preciso do autor em perfilar os líderes ingleses durante essa crise. 

As narrativas de combate seguem firmes na lista do magnata, com a quarta posição indo para o livro The Spy and the Traitor: The Greatest Espionage Story of the Cold War, escrita pelo historiador Ben Macintyre. A obra conta a história de Oleg Gordievsky, o agente duplo da KGB que trabalhou secretamente para os britânicos, e de seu provável traidor, o americano Aldrich Ames. Embora seja uma obra de não-ficção, Gates afirma que se trata de um relato “tão emocionante quanto meus romances de espionagem favoritos”.

Para fechar sua lista num tom otimista, Bill Gates indica a leitura de Breath from Salt: A Deadly Genetic Disease, a New Era in Science, and the Patients and Families Who Changed Medicine, do premiado jornalista Bijal P. Trivedi. A obra documenta a evolução no tratamento da fibrose cística e de como isso afetou pacientes e familiares.

“Esta história é especialmente significativa para mim porque conheço famílias que se beneficiaram com os novos medicamentos descritos neste livro”, afirma Gates. Para o executivo, narrativas semelhantes devem ganhar as mais e mais páginas nos próximos anos, visto que os avanços da biomedicina são incontáveis. 

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

NEOFEED REPORT

Conheça os conteúdos do braço de análise e inteligência de mercado do NeoFeed

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO