EXCLUSIVO: IPO do PicPay fica para 2023 e J&F prepara um aporte de R$ 3 bilhões

A empresa de tecnologia se preparava para abrir capital na Nasdaq. Como viu que não alcançaria o valuation de US$ 20 bilhões, decidiu abortar a operação e postergar para 2023

0
359
Leia em 2 min

O PicPay acaba de desistir de abrir o seu capital na Nasdaq, como estava se preparando para fazer neste mês de junho. Duas fontes relataram ao NeoFeed que a empresa controlada pela J&F Participações, da família Batista, não alcançou o valuation esperado e resolveu adiar o plano para 2023.

No início da semana, o site de notícias Pipeline já havia publicado que a abertura de capital iria ficar para depois e que a empresa teria até agosto para fazer o IPO no mercado americano. Mas, diante da janela desfavorável e de não ter chegado no número almejado, os controladores decidiram abortar.

O sindicato de bancos, formado por BTG Pactual, Bradesco BBI, Santander e Barclay’s, havia estipulado a meta de alcançar um valor de mercado de US$ 20 bilhões. Investidores pediram um desconto muito grande e os Batista não toparam.

Diante da desistência, o PicPay, que hoje tem vários projetos andando ao mesmo tempo, precisará de caixa para apoiar a operação de alto crescimento. No ano passado, como já havia apontado no prospecto, seu prejuízo foi de R$ 803 milhões.

O NeoFeed apurou que a J&F Participações deverá aportar R$ 3 bilhões no PicPay para dar sequência ao seu plano de expansão. Atualmente, a companhia conta com 50 milhões de usuários, dos quais 36 milhões são ativos.

O plano, diz essa mesma fonte, seria chegar em 2023 com 100 milhões de usuários. Procurado, o PicPay disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que não se pronunciaria sobre o assunto.

Leia também