Udemy prepara o IPO do ensino online

Plataforma de educação online, que não tem prédios, nem professores próprios, vai abrir o capital na Nasdaq. Recentemente, foi avaliada em US$ 3,3 bilhões

0
670
Leia em 3 min

Em um momento em que a educação virtual se tornou protagonista por conta da pandemia, a plataforma de ensino online Udemy prepara o seu IPO na Nasdaq, podendo se tornar um farol para outras startups que têm planos semelhantes, como a brasileira Hotmart.

A companhia fez o seu registro na Security Exchange and Commission (SEC), nesta terça-feira, 5 de outubro, no qual mostrou um crescimento de receita de 55,6%, em 2020, para US$ 429,9 milhões. Na última linha do balanço, a empresa teve prejuízo de US$ 77,6 milhões.

A oferta da Udemy, coordenada pelos bancos Morgan Stanley e J.P. Morgan, não traz detalhes sobre o valor a ser captado ou o valuation esperado, mas a startup foi avaliada em US$ 3,3 bilhões durante aporte em novembro do ano passado. A expectativa é que busque uma cifra mais alta.

Globalmente, a Udemy oferece 183 mil cursos em 75 idiomas em mais de 180 países, inclusive o Brasil. De acordo com o prospecto do IPO, cerca de 42% das empresas da Fortune 100 usavam o Udemy Business (UB), o serviço de aprendizagem corporativa da empresa.

Ao contrário da maioria das empresas de educação, a Udemy não tem prédios, nem professores próprios, no melhor estilo da economia compartilhada, como Airbnb e Uber.

São os próprios usuários que se cadastram no site e começam a dar aulas online sob diversos temas, que vão de marketing digital a aulas de programação, passando por áreas como negócios, design e desenvolvimento pessoal.

A startup foi fundada em 2010 nos Estados Unidos pelo turco Eren Bali. Dois anos antes, Bali havia desenvolvido um software de aulas online em seu país natal.

Mas foi ao mudar-se para o Vale do Silício que ele conseguiu a atenção de fundos de venture capital para tocar sua ideia e criar sua plataforma de cursos online. Desde sua fundação, a Udemy recebeu US$ 311,4 milhões de investidores como Naspers e Tencent, entre outros.

A Udemy é a mais recente empresa de educação online a tentar listar suas ações na bolsa de valores, depois que a Coursera  abriu o seu capital no início deste ano.

A Coursera, por exemplo, estreou na Bolsa de Nova York no fim de março deste ano e observou suas ações subirem mais de 36% no primeiro dia de pregão. Hoje, os papéis são negociados abaixo do preço do IPO, a US$ 31,12.

Assim como a Udemy, a Coursera não produz seu próprio conteúdo. Mas pode ser melhor definida como um marketplace para distribuir cursos de universidade e instituições de ensino, ganhando comissão pelas vendas. Stanford e Princeton são duas universidades que usam esse canal online.

Leia também

Brand Stories