Após Musk desistir de aquisição bilionária, Twitter prepara o contra-ataque

A companhia contratou o escritório de advocacia Wachtell, Lipton, Rosen & Katz para processar Musk pelo rompimento do acordo anunciado no fim de abril e avaliado em US$ 44 bilhões

0
0
Leia em 2 min

O posicionamento foi rápido, breve e direto. No início da noite da última sexta-feira, 8 de julho, Elon Musk deu por encerrado o acordo para a compra do Twitter, alegando que a rede social havia violado termos do contrato, entre eles, com o não fornecimento de informações sobre contas falsas na plataforma.

A rapidez com que o bilionário, dono da Tesla e da SpaceX, colocou um ponto final na negociação de US$ 44 bilhões contrasta, no entanto, com a longa batalha que ele provavelmente irá enfrentar na esfera judicial pelo rompimento do acordo, anunciado no fim de abril deste ano.

O sinal de que o imbróglio está só em seu início é o fato de que o Twitter se prepara para entrar com um processo contra Musk, de acordo com pessoas familiarizadas com esses planos ouvidas pelo jornal britânico Financial Times.

Para isso, a plataforma contratou o escritório de advocacia Wachtell, Lipton, Rosen & Katz, que irá responder pela entrada de uma ação da empresa contra o empresário, ainda nesta semana, no Tribunal de Delaware, estado americano em que boa parte das empresas públicas do país é registrada.

O escritório em questão é especializado em litígios empresariais e por defender companhias em acordos de fusão interrompidos naquele estado. O Wachtell, Lipton, Rosen & Katz já trabalhou, inclusive, para Musk, em um processo movido por acionistas da Tesla, relacionado à incorporação da SolarCity pela companhia, em 2017.

Para não perder o costume, Musk usou o Twitter para ironizar esses possíveis passos da rede social na arena judicial. Em um “meme” postado na madrugada de domingo para segunda-feira, o bilionário brinca que o a empresa agora quer forçá-lo a seguir com o acordo nos tribunais. E que, nesse processo, a companhia terá que revelar os dados sobre contas falsas que teria sonegado na negociação.

Na prática, o desfecho mais simples para o fim da transação – e o menos provável – é o pagamento por parte de Musk de uma multa de US$ 1 bilhão pelo encerramento do negócio. Virar essa página, no entanto, não é tão simples, dado que o Twitter, na esteira das conversas, promoveu uma série de demissões, entre outras medidas.

Ao mesmo tempo, a empresa vem sentindo os efeitos da desistência no mercado de capitais. Depois de encerrar o pregão da sexta-feira em queda de 5,1%, as ações da empresa recuavam cerca de 6% antes da abertura do mercado nesta segunda-feira, 11 de julho. O Twitter está avaliado em US$ 28,1 bilhões.

Leia também

Brand Stories