Arte ou marketing? O Motion Design de Shane Fu ganha o mundo – e o Brasil

O JK Iguatemi traz uma vitrine em movimento criada pelo artista chinês Shane Fu, o mesmo que criou obras para Louis Vuitton e Zara. Trata-se de uma onda que está ganhando força no varejo

0
884
Leia em 5 min

A sensação é de ter à frente um mar revolto, como naqueles dias de ressaca. No entanto as imagens despertam algo mais. As ondas borbulhantes explodem em cores vibrantes azul e verde, nos limites envidraçados de uma vitrine inexistente.

Viajando um pouco mais, a gente enxerga a fascinação futurista lembrando daquele hit do passado que diz que a vida vem em ondas, como o mar, num indo e vindo infinito.

Mas tudo o que se vê não é, como diz a eterna canção “Como uma Onda”, de Lulu Santos e Nelson Motta. O choque de realidade é que você está passando pela calçada, ouvindo buzinas de carros, e uma ilusão de ótica em realidade aumentada, que tem o som de mar, é produzida por algo batizado de Motion Design.

A obra digital é do artista Shane Fu, nascido em Wuhan, na China e residente em Nova York. Suas intervenções artísticas em 3D viralizaram a partir de trabalhos expostos nas gigantescas vitrines nova-iorquinas de marcas como a Louis Vuitton e a Zara e chegou pela primeira vez ao Brasil, na sexta-feira 10, com uma intervenção inédita na fachada do shopping JK Iguatemi, em São Paulo.

Inspirada no elemento água, a arte Contemplation ficará exposta por 20 dias. E, diferente das intervenções anteriores, visíveis apenas em conteúdo digital, a vitrine do JK poderá ser vista presencialmente, com efeitos sonoros.

O artista é famoso por suas ilusões digitais. As obras de arte criadas com a tecnologia 3D são moldadas como um show de cores vibrantes e capazes de hipnotizar.

O trabalho artístico é inovador e ganhou visibilidade em escala mundial no segundo ano da pandemia da Covid19. Para Shane Fu, que nasceu na cidade chinesa onde o primeiro surto do novo Coronavírus eclodiu, em 2019, sua obra está diretamente ligada ao momento sombrio mundial.

“A pandemia é, na verdade, parte da razão pela qual comecei a criar aquelas peças que funcionam como ‘arte de rua digital’”, diz ele em entrevista ao NeoFeed. “A intenção é que as pessoas vejam algo incrível e hipnotizante do lado de fora, quando a cidade e as ruas estão vazias. E isso foi crescendo a partir daí até a peça da Zara (que ganhou repercussão mundial na vitrine virtual de uma das lojas da marca em Manhattan).”

Uma onda de bolas coloridas parecia se espalhar pela loja novaiorquina da marca de moda na animação que acumulou mais de 17 milhões de visualizações online.

O vídeo, encomendado pela Zara e compartilhado na página da marca no TikTok, mostrava uma tela real de LED semelhante aos outdoors 3D populares na China e na Coreia do Sul. Mas, na realidade, a simulação existe apenas na internet. As pessoas pensavam que era real, mas foi apenas um vídeo compartilhado nas redes sociais.

Antes das ilusões perdidas que a pandemia nos impôs definitivamente, quando a Covid19 começou em Wuhan chamando a atenção do mundo para a doença até então desconhecida, Shane já estava em Nova York.

“Era muito difícil ouvir as más notícias de casa antes que o vírus chegasse aos Estados Unidos”, ele conta. “Felizmente minha família está bem e tenho trabalhado em casa desde então.”

Shane Fu é um artista que explora o design 3D abstrato e experimental. Inspirado pela matemática e pelos fenômenos da vida real, seu trabalho artístico frequentemente mergulha no reino do hiper-realismo.

“Estudei produção cinematográfica na faculdade, mas antes de me formar perdi o interesse em seguir carreira em Hollywood”, ele conta. “Pulei o último semestre e tentei encontrar algo que se relacionasse com o cinema, então encontrei a arte 3D e motion design.”

Ele atribui o seu mergulho artístico nessa área ao artista digital, animador e designer gráfico Michael Joseph Winkelmann, conhecido como Beeple (@beeple_crap), uma das suas maiores inspirações.

“Aprendi muito com ele. Eu mergulhei minha cabeça nisso e aprendi os programas de design e 3D e também a postar os resultados. Com o tempo, o meu trabalho foi se tornando o que é agora.”

Para o artista, o seu processo criativo definitivamente se alinha com o mundo de hoje. “Muitas tecnologias que envolvem o fazer do meu trabalho foram desenvolvidas há pouco tempo e abrangem o uso de inteligência artificial também”, explica.

A presença do trabalho de Shane Fu no Brasil não termina com essa instalação digital por 20 dias. A 5ª edição do Iguatemi Talks Fashion, que acontecerá em 19 e 20 de outubro, também terá uma intervenção artística de Shane com um design criado especialmente para o evento e poderá ser vista exclusivamente no digital.

“A arte é um dos nossos pilares e quando vimos o trabalho de motion 3D de Shane Fu no digital, imediatamente o procuramos para trazê-lo para o ambiente físico e por meio de nossas plataformas digitais levá-lo para mais pessoas”, diz Alexandre Biancamano diretor de marketing do grupo Iguatemi.

“Contemplation” é um motion interessante e multissensorial, tem efeitos sonoros e estará acessível aos clientes do JK.”

O artista Shane Fu nas ruas de Nova York

A repercussão mundial das suas instalações aliadas às grandes marcas, unindo arte e marketing, foi uma novidade para o artista. “As respostas são incríveis para mim, mas também um pouco esmagadoras”, confessa Shane. “Ainda estou decidindo o que fazer a seguir”.

Ele diz que ainda está compreendendo o processo de notoriedade com suas obras abraçadas por marcas comerciais. “Acho que ainda não entendi totalmente, mas estou constantemente praticando para ser o melhor nisso.” Por ora, ele prefere dizer que está tendo ótimos insights para o público internacional com essas experiências.

Shane ressalva que não costuma escrever sobre o significado do seu trabalho artístico e deixa que ele fale por si. “As pessoas têm direito às suas próprias opiniões e eu sempre adoraria ver suas reações”, diz.

Como todas as ilusões de ótica, futurísticas ou não, há que se lembrar que nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. Como diz a mesma canção, tudo passa. Tudo sempre passará

Leia também

Brand Stories