Com fundo de US$ 111 milhões, Serena Williams dá suas tacadas nas startups

Uma das maiores tenistas de todos os tempos, a americana Serena Willians capta seu primeiro fundo e investe na startup canadense Calico

0
166
Leia em 3 min

A tenista americana Serena Williams

Multicampeã nas quadras de tênis, a tenista americana Serena Williams está dando tacadas mais agressivas no que diz respeito aos seus investimentos em startups.

No começo deste mês, a tenista americana anunciou um fundo inaugural de US$ 111 milhões para aportar os investimentos da Serena Ventures, sua empresa de capital de risco fundada em 2014. Nesta terça-feira, 8 de março, a companhia anunciou seu primeiro aporte após a captação.

Comandada por Serena e pela sócia Alison Rapaport Stillman, empresária que passou por J.P. Morgan, Wasserman Media Group e Melo7 Tech, a Serena Ventures conta com o apoio financeiro de empresas de investimentos como Norwest Venture Partners, Capital G (da Alphabet), Kapor Foundation e LionTree.

Com aportes em rodadas pré-seed e seed, a Serena Ventures investe em startups de diferentes setores. Em muitos casos, em negócios liderados por negros e/ou mulheres. Desde 2014 foram mais de 60 startups investidas, com 13 unicórnios e seis saídas realizadas.

A primeira tacada após a captação foi direcionada na participação em um aporte de seed de US$ 2,1 milhões na Calico, startup canadense que atua com gerenciamento de cadeia de suprimentos utilizando inteligência artificial. Além da Serena Ventures, participaram da rodada fundos como Inovia Capital, Maple VC e Hyphen Capital, além de investidores-anjo.

Fundada em 2020 por Kathleen Chan, a startup atua no setor de moda e ajuda marcas a gerenciar a cadeia de suprimentos desde o design até a fabricação. Para isso, conecta pequenos fabricantes às fábricas que antes eram utilizadas somente pelas grandes marcas de moda. Após a cotação e contratação, toda a produção é gerenciada pela Calico.

A relação de Serena com a Calico vem antes mesmo do investimento. A tenista já era uma cliente da startup, que gerenciava a marca de roupas da tenista e encontrou problemas para lidar com estoque. “É raro ver um fundador e um produto que estejam tão sintonizados com os desafios do setor e as limitações atuais como a Calico”, disse Serena, em comunicado.

A Calico fará parte de um portfólio de empresas que já conta com startups como a fintech Esusu Financial, que ajuda a economizar dinheiro e construir crédito; a foodtech Foody, que disponibiliza uma plataforma para que internautas comprem e vendam receitas caseiras; e a Noom, voltada para o setor de saúde com uma plataforma de nutrição e mentoria de exercícios físicos.

Serena é considerada como uma das maiores atletas de todos os tempos. Ela é dona de quatro medalhas olímpicas de ouro e já acumula vitórias em 23 Grand Slams, um a menos do que o recorde da australiana Margaret Smith Court, que reinou nas quadras durante a década de 1960.

Ela, porém, não é a única tenista que se aventurou no mercado de investimentos. Uma de suas principais rivais nas quadras, a ex-jogadora russa Maria Sharapova também já investe em startups. Mas em uma escala bem menor. Foram três investimentos reportados até o momento.

No último investimento realizado, ainda no fim de 2021, Sharapova liderou um venture round na fintech americana Public.com, que permite negociar criptomoedas e ETFs.

Leia também

Brand Stories