Filme mistura artes marciais e romance (e foi 100% “rodado” em um iPhone 13)

Apple vai à Coreia buscar o diretor Park Chan-wook, de Old Boys, para fazer um filme inteiramente “rodado” com iPhone 13, em uma nova sacada da campanha “Shot on iPhone”

0
275
Leia em 3 min

Cena do filme “Life is But a Dream”, “rodado” com iPhone 13

A Apple foi buscar na Coreia do Sul o astro da mais nova peça de sua campanha “Shot in iPhone”. Convenceu novamente Park Chan-wook, o aclamado diretor de Oldboy, Thirst e The Handmaiden, a deixar as câmeras profissionais de lado para fazer um filme inteiramente “rodado” com iPhones 13 Pro e Pro Max.

Life is But a Dream é o primeiro projeto da campanha da Apple a ser produzido, filmado e editado inteiramente na Coreia (te cuida, Samsung!). A Ásia, aliás, anda nas lentes da empresa americana. Recentemente, a Apple financiou um curta metragem do diretor Zhang Meng para celebrar o Ano Novo Chinês.

A película de Park mistura artes marciais com romance, comédia sombria e pansori – um gênero folclórico coreano de narrativa musical, usado geralmente para “representar” os contos surreais. E põe surrealidade nisso.

Um agente funerário abre uma cova abandonada com o intuito de roubar um caixão para o enterro de White Marten, guerreira morta enquanto tentava salvar uma vila. O problema é que o agente acidentalmente desperta o fantasma de um antigo espadachim. E, ao tentar devolvê-lo ao além, também acaba despertando White Marten.

“Dois fantasmas guerreiros que morreram jovens agora estão cruzando espadas… ou emoções. Ou seria tudo um devaneio do agente?”, escreve Todd Spangles, crítico da revista Variety.

Não é a primeira vez que Park empunha o gadget da Apple para a grande arte. Em 2011, utilizou recursos do iPhone 4 para rodar Night Fishing, que ganhou o Urso de Ouro de curta-metragem na 61ª edição do Festival de Cinema de Berlim. A diferença, agora, é que a equipe deitou e rolou com os recursos do iPhone 13 Pro e Pro Max.

O próprio Park diz que se divertiu com as funções cinematic mode, night mode, câmera grande angular e estabilização óptica de imagem.

Mas quem anda se divertindo a valer é a Apple, comandada por Tim Cook. A “Shot on iPhone”, uma campanha que nasceu ridiculamente simples, virou um fenômeno de marketing.

Ela começou em 2014 como um desafio em redes sociais, com a Apple convidando usuários a fazer o que eles já faziam: postar suas melhores fotos em redes sociais. Pouco tempo depois, a página da campanha da Apple, somente no Instagram, já colecionava 15 milhões de posts.

Uma ajudazinha de celebridade aqui, outro influencer ali… e boom, a campanha explodiu. A Apple criou conteúdo sobre o assunto, patrocinou artistas e fotógrafos, selecionou as fotos de usuários para estampá-las em outdoor e fez parcerias com artistas como Lady Gaga e Selena Gomes para criar videoclipes sobre o tema e as fotos. Colocar seus iPhones nas mãos de cineastas era questão de tempo.

Em tempo: mesmo em meio a grave escassez de processadores que limitam a venda de celular, a Apple superou a marca de 40 milhões de unidades vendidas de iPhone 13 Pro e Pro Max apenas nos últimos meses de 2021.

Adivinhe qual região do mundo foi a campeã na procura por aparelhos usados pelo coreano Park?

Leia também

Brand Stories