Insiders

Fundo mais badalado do Vale do Silício avisa suas startups: preparem-se para o pior

A Sequoia, uma das gestoras de venture capital mais respeitadas do Vale do Silício, enviou uma mensagem dura aos CEOs de suas investidas, pedindo que reavaliem cada ponto de seus negócios de maneira realista. Motivo? O coronavírus

 

Sequoia Capital foi uma das primeiras a investir na Apple, Airbnb e Google

Citando o naturalista e biólogo britânico Charles Darwin, a Sequoia Capital, uma das gestoras de venture capital mais badaladas e respeitadas do Vale do Silício, deu um recado duro aos CEOs das startups nas quais investe.

“Aqueles que sobrevivem não são os mais fortes nem os mais inteligentes, mas aqueles mais adaptáveis à mudança”, escreveu a Sequoia em um memorando que vazou nos Estados Unidos.

A mensagem da Sequoia, que tem por trás de seus aportes sucessos como Apple, Google e Airbnb, teve como gatilho o coronavírus, a qual chama de o “cisne negro de 2020”.  

No memorando, a Sequoia destaca que o fato de a companhia ter resistido a todas as crises nos negócios por quase cinco décadas foi crucial para aprender uma lição bastante importante.

“Ninguém se arrepende de fazer ajustes rápidos e decisivos quando as circunstâncias mudam. Em tempos de crise, a receita e o fluxo de caixa sempre caem mais rápido que as despesas”, diz um trecho do documento.

O tom pessimista e alarmante do memorando é proposital. Em 2008, a mesma Sequoia publicou uma famosa mensagem cujo título era “RIP Good Times” (Descanse em paz bons tempos, em tradução literal). A ideia era fazer uma “brincadeira” com o fim da bonança de gastos e investimentos com a chegada da crise financeira global de 2008. 

Para dar credibilidade às suas novas previsões quase apocalípticas, a carta assinada pelo time da Sequoia traz uma declaração do executivo Alfred Lin, hoje sócio da empresa, mas que, na época, atuava como COO/CFO da Zappos, operação de comércio eletrônico de sapatos comprada pela Amazon, de Jeff Bezos. 

“Não sabíamos naquela época, assim como não sabemos hoje, a dimensão do abismo que vamos enfrentar, nem quanto tempo isso vai durar. O que eu posso confirmar é que o aviso da Sequoia fez nosso negócio e equipe mais fortes. A Zappos emergiu da crise financeira pronta para aproveitar as oportunidades, enquanto nossos concorrentes ficaram machucados”, afirmou Lin.

Com mais de 100 mil casos confirmados, dos quais 3,4 mil foram fatais, a epidemia do coronavírus já tem afetado as bolsas internacionais. As bolsas asiáticas encerraram o expediente desta sexta-feira, 6 de março, em queda.

O índice CSI300, que congrega as maiores companhias listadas nos mercados chineses de Xangai e Shenzhen, caiu 1,62%, enquanto o índice de Xangai despencou 1,21%. 

Nos EUA, o índice S&P 500 recua um acumulado de quase 4% na semana. Vale lembrar que o Fed, o Banco Central americano, anunciou um corte extraordinário de 0,5% na taxa básica de juros.

“Fizemos isso para ajudar a economia americana a se manter firme perante os novos desafios trazidos pelo coronavírus”, declarou, em comunicado oficial, Jerome Powell, presidente do Fed.

Em tempos de crise, a receita e o fluxo de caixa sempre caem mais rápido que as despesas”, diz um trecho do documento da Sequoia

Da mesma forma, a Sequoia quer que seus empreendedores, se preciso for, cortem na própria carne para resistir. Sugerindo que os os donos de startups questionem absolutamente tudo o que pensam saber sobre seus negócios, a investidora pede que os executivos reavaliem seis pontos fundamentais, sendo o primeiro deles o fluxo de caixa.

“Você tem, realmente, tanto capital de segurança quanto pensa? Poderia suportar alguns trimestres decepcionantes se a economia continuar fraca? Já fez planos de contingência? Onde você poderia cortar as despesas sem prejudicar fundamentalmente os negócios? Faça essas perguntas agora para evitar consequências potencialmente dolorosas”, recomenda o texto da Sequoia.

Por fim, a Sequoia convida seus empreendedores a questionarem a capacidade das empresas de conseguir levantar mais capital. “O que você faria se a captação de recursos se mostrasse difícil em 2020 e 2021? Você poderia transformar uma situação desafiadora em uma oportunidade de crescimento?”

O texto do memorando diz que empresas emblemáticas foram forjadas e modeladas durante momentos de crises. “Fizemos uma parceria com a Cisco logo após a Segunda-Feira Negra, em 1987. O Google e o PayPal enfrentaram as consequências da crise das pontocom. Mais recentemente, o Airbnb, Square e Stripe foram fundados no meio da crise financeira global”.

A gestora de venture capital pede também que os empreendedores ponderem as expectativas de vendas e as despesas e estratégias de marketing antes de tocar na parte mais sensível: o capital humano.

“Dado todos os pontos de estresse abordados, talvez seja um momento para avaliar criticamente se você pode fazer mais com menos e aumentar a produtividade”, diz um trecho do texto, que sugere também a reavaliação dos gastos gerais da startup.

Antes de finalizar a carta, a Sequoia alerta que o falso otimismo pode cegar os empreendedores a ponto de impedi-los de agir da maneira e na hora certa. “Evite essa armadilha sendo clinicamente realista. Demonstre a liderança que sua equipe precisa nesse período desafiador”. 

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO