QuintoAndar pega o “elevador” e chega ao México com nova marca

No exterior, a startup vai atender pelo nome de Benvi. Operação na Cidade do México é a primeira da companhia em solo internacional

0
0
Leia em 3 min

QuintoAndar vai se chamar Benvi fora do Brasil

Quase seis meses depois de anunciar uma mudança em sua identidade visual, o QuintoAndar ganhou um novo nome para sua operação internacional. A companhia agora vai responder também por “Benvi”.

A marca foi lançada nesta terça-feira, 21 de junho, e a estreia acontece no México, o primeiro mercado que a proptech desembarca levando seu negócio de classificados e gestão de contratos de locação para a Cidade do México. “É um mercado parecido com o do Brasil, que é muito fragmentado e no qual o fiador continua sendo uma barreira”, diz João Chueiri, diretor-executivo de marketing do QuintoAndar.

A ideia é usar o próximo semestre para que a startup possa sentir a temperatura do mercado internacional antes de avançar em sua expansão. “Até o fim do ano vamos ficar somente na Cidade do México. A expansão (para outras cidades mexicanas) será feita em um segundo momento”, diz Chueiri.

No México, a companhia será conhecida como Benvi, o mesmo nome que será utilizado em todas as operações da proptech fora do Brasil. A mudança se dá pela escolha de um nome que fosse mais curto e entendido em diferentes idiomas. Por aqui, a empresa ainda continuará utilizando a marca QuintoAndar.

Neste primeiro momento, os planos da startup focam também apenas nos contratos de locação, deixando a operação de compra e venda de imóveis, que já está presente no Brasil, para depois. No País, a companhia está presente em 75 cidades com 175 mil contratos de ativos de aluguel e R$ 90 bilhões em ativos sob administração.

O QuintoAndar não informa métricas ou a expectativa de crescimento que pretende obter no negócio baseado no México. O que se sabe é que se trata de um mercado com 35 milhões de residências e no qual, segundo a startup, 17% são habitadas por moradores com contratos de aluguel.

O desembarque no México faz parte do plano de internacionalização do QuintoAndar, que começou com a aquisição do Grupo Navent, em dezembro do ano passado.

O conglomerado argentino controla empresas do setor imobiliário em países como Argentina, Peru, Equador, Panamá e México, além do Brasil. Nenhuma das empresas, no entanto, opera com a gestão de contratos de aluguel no modelo explorado pela startup brasileira.

No Brasil, o Navent era responsável pelos negócios de Imovelweb, Wimoveis e Union Softwares. Já no México, a companhia é dona da Inmuebles24, uma das principais plataformas de classificados de casas e apartamentos do país.

O fundador e CEO da Navent, Nicolás Tejerina, é o atual vice-presidente de marketplaces para a América Latina do QuintoAndar e será o responsável por gerenciar a operação no México.

Se a operação vingar em solo mexicano, a tendência é de que o movimento seja replicado nos outros países em que o Navent já opera. “Entrar com uma operação que já líder no país é um facilitador”, diz Chueiri.

Além da América Latina, a companhia também já mostrou a intenção de desbravar o mercado europeu. Em novembro do ano passado, a proptech inaugurou um centro de tecnologia em Lisboa. A operação na capital portuguesa foi a primeira da startup fora do Brasil.

Neste ano, o QuintoAndar vive meses agitados. Em janeiro, a companhia realizou uma reformulação em sua marca para, segundo o cofundador André Penha, passar a imagem de que se trata de uma empresa que não apenas faz a transação imobiliária, mas é um “destino padrão de moradia”.

Em março, a startup que está avaliada em US$ 5,1 bilhões comprou a Noknox para entrar no mercado de condomínios. No mês seguinte, em abril, a proptech foi uma das startups que realizou demissão de funcionários. Segundo a startup, o corte envolveu 4% da base de funcionários, o que resultou em algo próximo de 160 desligamentos.

Leia também

Brand Stories