Negócios

XP entra na guerra dos cartões e mira seu canhão até no Nubank

Depois de um período de testes, a XP lança oficialmente seu cartão de crédito, com provocação indireta ao Nubank na campanha publicitária

 

Após um período de testes, a XP lançou oficialmente seu cartão de crédito nesta quarta-feira, 10 de março, avançando em sua estratégia de banco digital.

O mote da campanha de divulgação é “Para bom investidor, só esse cartão basta”, incentivando os clientes a cortar relações com os bancos tradicionais. E sobra provocação até para o Nubank: um vídeo da campanha publicitária mostra vários cartões de crédito sendo cortados. E um deles é roxo, a cor do cartão do Nubank.

“Até os bancos mais cool do Brasil cobram tarifas de juros absurdas”, afirmou Guilherme Benchimol, fundador e CEO da XP. “A XP nasceu focada em investimentos e trouxe competição a esse mercado. Queremos fazer a mesma coisa com os cartões de crédito.”

A XP afirma também que oferecerá juros até 50% mais baixos que a média dos grandes bancos. Benchimol diz que a meta é chegar a 2% ao mês. “Ainda acho alto. Teremos o desafio de baixar ainda mais.” A média de juros cobrados pelo cartão da XP, neste momento, é de 5,9% no crédito rotativo e 3,9% no parcelado.

A contratação do cartão será 100% digital e a XP não cobrará anuidade. A grande aposta da empresa é o sistema de Investback, em que parte do dinheiro gasto com o cartão será devolvido ao cliente para que ele seja investido.

A meta é retornar 1% de todas as compras e até 10% em compras feitas com lojas parceiras do marketplace da XP em investimentos. Hoje, o marketplace da XP conta com 25 empresas parceiras, como Nike, FastShop, Camicado, Decathlon e Cobasi. O objetivo é dobrar esse número ainda no primeiro semestre deste ano.

Para Benchimol, o lançamento de produtos tradicionalmente associados a bancos não representa uma mudança na visão da empresa. “Continuamos sendo contra os bancos pela forma como eles tratam os clientes”, disse Benchimol. “Não é porque temos um banco digital que não podemos oferecer aos clientes serviços que são super inovadores a preços competitivos.”

Inicialmente, o cartão da XP é só para quem tem mais de R$ 50 mil investidos, mas, ao longo do ano, ele vai ficar disponível para todos os clientes da XP.

O cartão XP Visa Infinite também terá limite dinâmico, com base nos investimentos, que poderá ser adaptado de acordo com as necessidades. O cartão também virá sem números impressos, e pelo app será possível gerar combinações randômicas no momento de fazer uma compra. “Com isso, garantimos uma segurança bastante grande”, diz Bruno Guarnieri, head de Produtos Digitais da XP.

O roadmap da empresa também prevê o lançamento de outros produtos bancários ainda em 2021. A conta digital deve ser lançada aos clientes até meados deste ano. Outros serviços, como transferências, também serão disponibilizados.

A meta da XP é ter todo o patrimônio de seus clientes dentro da plataforma. De acordo com Benchimol, os clientes mantêm metade da liquidez na XP, sendo que o patrimônio restante fica nos bancos tradicionais. “Se verticalizarmos a experiência, conseguimos dobrar os ativos sob gestão sem ganhar nenhum cliente novo”, afirma Benchimol.

Por isso, apesar da provocação, Benchimol afirma que a competição de verdade é contra os bancões. “Se você olhar o market share desses novos bancos, ele é quase nenhum. É nos bancos tradicionais que está a massa crítica de clientes.”

O cartão de crédito XP entrou em fase de testes em julho do ano passado. Inicialmente, ele foi oferecido para funcionários e depois seguiu para alguns clientes selecionados. A empresa informa que 35 mil pessoas já testaram o produto antes do lançamento oficial.

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO