Depois do Carrefour, Atacadão troca também o CEO

Três semanas depois de o Carrefour anunciar a troca de CEO no Brasil, agora é a vez do Atacadão, uma das marcas do grupo francês, realizar mudança no seu comando. O executivo Marco Oliveira está assumindo a rede, no lugar de Roberto Müssnich

0
665
Leia em 2 min

Três semanas depois de o Carrefour anunciar a troca de CEO no Brasil, agora é a vez do Atacadão, uma das marcas do grupo francês, realizar uma passagem de bastão.

Quem assume o negócio é Marco Oliveira, que até então ocupava o posto de vice-presidente e foi o executivo responsável por liderar a conversão de 28 lojas do Makro, adquiridas pelo Carrefour em 2020, em unidades do Atacadão, em integração que levou seis meses para ser concluída.

Oliveira substituirá Roberto Müssnich, que estava há 21 anos no Atacadão e desde 2014 comandava a marca. O executivo deixa o cargo a partir desta sexta-feira, dia 6 de agosto, e seguirá no grupo até o fim ano. Depois, “continuará apoiando em reflexões estratégicas até junho de 2024”.

O anúncio foi feito na noite desta sexta pelo Carrefour, em fato relevante. Segundo o comunicado, Oliveira estava há dois anos em processo de transição, liderando o Atacadão junto com Müssnich.

O novo CEO do Atacadão está no Carrefour desde 1991, sendo os últimos 14 anos na marca que agora comanda. Em 2006 e 2007, liderou o projeto de compra do Atacadão pela rede varejista francesa.

Em julho, o Carrefour já havia anunciado que Noël Prioux deixaria o comando do grupo no Brasil, para dar lugar a Stéphane Maquaire, que só assumirá efetivamente em setembro.

No segundo trimestre deste ano, o Carrefour Brasil registrou lucro líquido de R$ 592 milhões, queda de 16,8% em relação a igual período do ano passado. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), por sua vez, alcançou R$ 1,37 bilhão, recuo de 3,6% no mesmo tipo de comparação.

Já a receita operacional líquida teve alta de 11,5% no segundo trimestre, para R$ 18,72 bilhões. As vendas consolidadas, que excluem gasolina, cresceram 9,4%, para R$ 19,5 bilhões no intervalo entre abril e junho.

Leia também

Brand Stories