Insiders

Epic Games, dona do Fortnite, “joga bonito” e levanta US$ 1,78 bilhão

A companhia por trás do fenômeno Fortnite recebeu uma avaliação de US$ 17,3 bilhões e atraiu novos acionistas, como Baillie Gifford, Fidelity, Lightspeed e David Tepper

 

O Fortnite tem 350 milhões de usuários ativos

Dentro e fora da realidade virtual, a Epic Games vem mostrando que sabe jogar – e muito bem. O estúdio de games, que é dono do fenômeno cultural e de negócios Fortnite, acaba de levantar um investimento de US$ 1,78 bilhão sob uma avaliação de US$ 17,3 bilhões, alta de 15% sobre o valor anterior. Neste aporte, já está incluído o investimento de US$ 250 milhões, da Sony, divulgado no mês passado.

A Epics Game reuniu um grupo estelar de investidores. O aporte incluiu os fundos Lightspeed Venture Partners, Baillie Gifford e contas administradas pelo BlackRock, além dos fundos comandados por David Tepper e T. Rowe Price.

A Smash Ventures e a KKR aproveitaram o investimento para aumentar suas participações na Epic Games. A chinesa Tencent, dona do superaplicativo WeChat, manteve também sua fatia minoritária da companhia. Tim Sweeney, fundador e CEO da companhia, segue como controlador. Com o aporte, ele afirma que será possível acelerar os planos da empresa.

“Com esse suporte é possível apressar o desenvolvimento de um novo ecossistema digital, usando tecnologia 3D em tempo real, serviços que conectam centenas de milhões de pessoas e uma loja digital que oferece um modelo de negócios justo”, disse Sweeney, em um comunicado.

Um das empresas que mais cresce na indústria de games, a Epic Games vê no Fortnite seu principal trunfo. O jogo de tiro, lançado em julho de 2017, já conta com 350 milhões de usuários ativos. E sua popularidade não para de crescer.

Apesar de ser gratuito, o Fortnite gera receita através de compras dentro da sua plataforma. Os usuários podem usar suas V-Bucks, a moeda do ambiente Fortnite, para comprar roupas, armas e passes para batalhas. Para comprar 1 mil V-Bucks, é preciso desembolsar R$ 30,90, montante suficiente apenas para vestimentas mais básicas no jogo.

Quase 70% de todos os jogadores afirmaram terem feito pelo menos uma aquisição no ambiente virtual do game. O tíquete médio anual é de US$ 84,67. Em 2019, o Fortnite rendeu à Epic Games US$ 1,8 bilhão de receita, quase 42% da receita de US$ 4,2 bilhões no período. O lucro foi de US$ 730 milhões.

A Epic Games tem também outro trunfo além do Fortine. A companhia é a dona do software Unreal, um sistema de desenvolvimento de games que é a base de outros grandes títulos mundiais, como A Way Out, Ace Combat 7 e The Bard’s Tale 4.

A expectativa é que este ano seja ainda melhor para a indústria de games, que movimenta US$ 150 bilhões anualmente. Por conta das medidas de distanciamento social e do tempo prolongado em casa, o consumo de videogames aumentou consideravelmente.

Nesta quinta-feira, 6 de agosto, a Nintendo, por exemplo, divulgou seu balanço trimestral e registrou aumento de 428% em seu lucro, que saltou para US$1,37 bilhão.

O resultado deve-se às vendas do seu jogo Animal Crossing: New Horizons, que atingiram 10,6 milhões de unidades no primeiro trimestre fiscal da companhia japonesa. Desde março, o jogo já alcançou 22,4 milhões de unidades vendidas.

Em abril, a Microsoft informou que o número de inscritos em sua plataforma Game Pass, uma espécie de Netflix para videogame, passou dos 10 milhões.

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também

UM CONTEÚDO:

NEOFEED REPORT

Baixe o relatório “O mapa de ataque das grandes empresas”

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO