Na Faria Lima, falta Uber e sobra esperança no “presidento”

Motoristas cancelando corridas, Temer aparecendo no cenário político, a dança das cadeiras dos CFOs e as festas que começam a voltar

0
374
Leia em 3 min

“Apaga a luz, apaga a tudo…”

O trecho desse funk, que viralizou no TikTok há alguns meses, resume a atual crise energética global. No Brasil, na Europa, e principalmente na China, a escassez de fontes de energia colocam em xeque a retomada econômica pós-pandemia e acende um alerta às preocupações ambientais, já que petróleo e gás têm sido muito demandados mesmo com os aumentos de preço. Sabe aquela história de que quando está caindo o avião, o ateu começa a rezar? Com ESG tem sido a mesma coisa…

Pra onde vai a Bolsa brasileira?

Quando a bolsa americana cai, a bolsa brasileira cai; já quando a bolsa americana sobe… a bolsa brasileira também cai. Não tem Markowitz que explique! Depois de meses com o consenso de mercado comprado em bolsa e vendido no juros, o mercado ficou mais volátil e os fluxos de capital voltaram a buscar renda fixa.

Nesse cenário fica cada vez mais importante fazer um bom “stock picking”, seleção de ações, para encontrar oportunidades fora do índice Ibovespa que só anda em dois sentidos: pro lado ou pra baixo

Sofre o Faria Limer

Nem a falta de energia, nem o loss na bolsa. O que, de fato, preocupa o Faria Limer é ser cancelado pelo Uber. Velhotes, tá complicado! Só quem circula pelo Itaim sabe a dificuldade que é completar uma corrida.

Após uma onda de reclamações, a Uber finalmente se pronunciou, e disse ter banido 1,6 mil motoristas por abuso de cancelamentos de corridas.

Uber é igual aquele seu contatinho: no começo é água gelada, bombom, chiclete, wi-fi. Depois, nem aceita sua corrida.

Dança das cadeiras de RI

Várias empresas anunciaram recentemente mudanças no comando de suas áreas de Relações com Investidores. A unico, um dos mais recentes unicórnios brasileiros, trouxe Diogo Bassi, ex-CFO da Petz, para assumir essa mesma posição na empresa. Para seu lugar foi Aline Penna, que era CFO e head de M&A na Arezzo. Outro movimento recente foi a chegada de Rafael Bossolani à IMC, após 4 anos como CFO da Hering.

Esses movimentos nunca tiveram tanto destaque na mídia e nunca foram tão estratégicos, em um ambiente de forte consolidação (e M&As) em diversos setores e com um desafio cada vez maior das empresas se comunicarem com uma base de investidores PF mais ampla e com forte influência das redes sociais.

Tenho acompanhado esse tema e recentemente participei de um painel no 22º Encontro Internacional de Relações com Investidores da Abrasca (o evento foi fechado, quem quiser acesso procura o pessoal da Abrasca).

Crepúsculo político

A claridade começa a dar alguns sinais para quem está assustado com o cenário binário e polarizado das eleições 2022.

Se por um lado Eduardo Leite vem se fortalecendo e aparece como favorito para a candidatura via PSDB, segundo a Eurasia, por outro o “presidento” favorito da Faria Lima começou a dar as caras.

Repentinamente, Michel Temer tem se mostrado bem ativo nas redes sociais e, na semana passada, concedeu entrevista ao tradicional programa da TV Cultura, Roda Viva.
Estão deixando a gente sonhar…

Carnaval antecipado

Muita gente espera uma espécie de carnaval antecipado no mês de novembro aqui em São Paulo. O avanço da vacinação, a melhora do quadro pandêmico e a flexibilização das medidas de segurança dão espaço para a retomada dos eventos.

Shows e as tradicionais festas open bar devem entrar na avenida muito em breve e as minhas top picks estão no destaque “agenda” do meu instagram!

Até lá, recomendo o happy hour do bar Arlete, em Pinheiros. O espaço tem dois andares e as quintas e sextas-feiras o público se junta na calçada, onde já começam a rolar alguns trades.

Leia também