Unico torna-se unicórnio com aporte de R$ 625 milhões de Softbank e General Atlantic

A idtech brasileira unico atingiu uma avaliação bilionária com novo aporte. Os recursos vão ser usados no desenvolvimento da solução e em aquisições

0
156
Leia em 2 min

Paulo Alencastro (à esq.) e Diego Martins são os fundadores da unico

A idtech brasileira unico atingiu uma avaliação bilionária ao receber um aporte de R$ 625 milhões liderado por Softbank e General Atlantic e com participação do fundo brasileiro Big Bets e Micky Malta, sócio da Ribbit Capital, nesta terça-feira, 3 de agosto.

Com o anúncio, divulgado pela agência de notícias Reuters, a unico torna-se o mais novo unicórnio brasileiro, como são chamadas as startups que são avaliadas em mais de US$ 1 bilhão.

A unico, que desenvolve uma solução de autenticação de identidade via biometria facial, já havia recebido um cheque de R$ 580 milhões em rodada que também foi liderada por Softbank e General Atlantic no ano passado.

O dinheiro do novo aporte vai ser usado para o desenvolvimento de soluções e aquisições, algo que já estava no radar da unico. Em 2020, havia adquirido a startup gaúcha de análise de imagens Meerkat.

Em maio deste ano, comprou a ViaNuvem, que abriu caminho para a entrada da empresa no mercado de concessionárias de automóveis, com a validação digital na venda de automóveis.

E, na semana passada, a idtech anunciou a aquisição da CredDefense, companhia que também atua com soluções de validação de identidade de prevenção a fraudes por meio de biometria facial.

Fundada em 2007 pelos empreendedores Diego Martins e Paulo Alencastro com o nome de Acesso Digital, a unico trabalha com mais de 600 empresas em segmentos como bancos, fintechs, varejo, indústria, operadoras e e-commerce. Essa base inclui clientes como Magazine Luiza, C6, Banco Original e B2W.

A startup atua em duas áreas. A primeira são as ferramentas de biometria facial que validam e protegem a identidade dos usuários em transações online, das compras no e-commerce à solicitação de crédito.

Com esse modelo, a empresa diz ter impedido mais de 900 mil ações fraudulentas no primeiro semestre de 2021, o que evitou um prejuízo de R$ 22 bilhões para as companhias que recorrem aos seus produtos. Hoje, em média, a unico autentica 17 milhões de pessoas por mês.

Já a segunda frente do portfólio é composta por uma plataforma destinada aos departamentos de RH das empresas, com o objetivo de agilizar a contratação remota de funcionários. Desde o seu lançamento, há três anos, a ferramenta, que também conta com um recurso de assinatura eletrônica de documentos, viabilizou cerca de 500 mil admissões.

Leia também