“Nuvem cai” e tira do ar aplicativo Caixa Tem, que paga o auxílio emergencial

O aplicativo Caixa Tem, que permite receber e movimentar auxílio emergencial do governo federal, está fora do ar. Motivo? Um problema de refrigeração que afetou um data center da Ascenty, maior empresa da área no Brasil

0
76
Leia em 3 min

Aplicativo Caixa Tem, que está fora do ar, por conta de um problema em data center

A pandemia transformou os data centers, centro de dados com milhares de servidores, em serviços essenciais. Sem eles, a computação em nuvem simplesmente não funciona.

Ficar alguns minutos fora do ar pode ser fatal para empresas que dependem de serviços na nuvem, como bancos online, sistemas de videoconferência, sites de comércio eletrônico ou até mesmo o e-mail. Na prática, a imensa maioria dos serviços que funcionam na internet está na nuvem.

Imagine, então, ficar horas fora do ar. É exatamente o que está acontecendo desde às 5 horas desta manhã, 7 de dezembro, em um data center da Ascenty, uma das maiores empresas desse setor no Brasil, em Jundiaí, no interior de São Paulo.

Um problema de refrigeração, provocado por um vazamento de água, obrigou a Ascenty a desligar os servidores e a paralisar os serviços, afetando, pelo menos, clientes da IBM, apurou o NeoFeed. Os serviços voltaram parcialmente ar depois do meia dia. Procurada, a Ascenty não quis comentar.

Um desses clientes é a Caixa, cujo aplicativo Caixa Tem, que permite receber e pagar o auxílio emergencial do governo federal, está fora do ar deste então. Em nota ao NeoFeed, a Caixa informou que o aplicativo está indisponível “em razão de problema em ambiente da provedora de serviços IBM, que é responsável pelo tráfego de informações do aplicativo.”

A IBM publicou nota, em seu Twitter, às 10h58, dizendo que “uma falha de resfriamento dentro do prédio que abriga o data center da nuvem da IBM em São Paulo resultou em uma interrupção temporária do serviço. A IBM está trabalhando com todas as partes envolvidas para restaurar o serviço o mais rápido possível.”

Os clientes que não contam com um plano de contingenciamento ficaram com os serviços afetados. “Em geral, o SLA (service level agreement) desses contratos é de poucos minutos. E já são muitas horas fora do ar”, diz uma fonte.

A Ascenty é a maior empresa de data center do Brasil. Ela conta com 17 sites no País e quatro na América Latina (dois no Chile e dois no México). A expectativa era de que a Ascenty atingisse um faturamento de R$ 1 bilhão neste ano.

A companhia foi fundada pelo americano Cris Torto em 2010. Em 2018, a Ascenty foi adquirida pela Digital Realty e pela gestora Brookfield por US$ 1,8 bilhão. Torto manteve uma participação minoritária na companhia. O empreendedor é também o fundador da Vivax, empresa de tevê por assinatura comprada pela NET, em 2006, por R$ 1,3 bilhão.

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também