O que esperar do Twitter sob o comando de Elon Musk?

Nos últimos meses, o dono da Tesla e SpaceX deu pistas sobre o que pretende fazer no Twitter: moderação mais leve, assinatura em vez de publicidade, botão de edição e tuítes mais longos

0
65
Leia em 4 min

A compra do Twitter por Elon Musk, em um negócio de US$ 44 bilhões nesta segunda-feira, 25 de abril, traz uma série de interrogações sobre o futuro da rede social.

Agora, sob o comando do homem mais rico do mundo, com uma fortuna estimada em US$ 259 bilhões, a única certeza é de que, uma vez concluído o negócio, o Twitter se tornará uma empresa privada e terá seu capital fechado.

Mas, nos últimos meses, Musk, que é dono da Tesla e da SpaceX, deu algumas pistas do que pretende fazer com a rede social, que permite, até agora, posts de, no máximo, 280 caracteres.

“A liberdade de expressão é a base de uma democracia em funcionamento e o Twitter é a praça da cidade digital onde são debatidos assuntos vitais para o futuro da humanidade”, disse Musk, em um comunicado à imprensa, anunciando o acordo de compra do Twitter.

A seguir, algumas mudanças que devem ocorrer no Twitter, segundo uma compilação realizada pelo The Wall Street Journal. Um alerta importante: Musk muda de ideia com frequência.

Moderação mais leve de conteúdo

Musk, que já se descreveu a si próprio como um “absolutista da liberdade de expressão”, disse durante uma entrevista para uma conferência do TED, em 14 de abril, que o Twitter é “muito importante por ser uma arena inclusiva para a liberdade de expressão.”

Na mesma ocasião, ele declarou que o Twitter deveria ser mais cauteloso quando decide tirar do ar ou permanentemente banir tuítes dos usuários. Em sua visão, punições menores seriam melhores.

O dono da Tesla disse também que quando o Twitter faz alterações para ampliar ou reduzir o alcance de um tuíte deveria informar os seus usuários sobre o que aconteceu.

Criar um botão de edição

Um botão de edição é um dos pedidos antigos dos usuários do Twitter – uma vez publicado um conteúdo, ele não pode ser alterado ou editado.

No começo de abril, Musk fez uma enquete pelo Twitter para saber se os usuários queriam um botão de edição. Mais de 4 milhões de pessoas votaram e mais de 70% disseram que gostariam de ter essa opção na plataforma.

Após a enquete de Musk, o Twitter informou que está trabalhando em um botão de edição desde o ano passado.

Tornar o algoritmo do Twitter aberto

Na entrevista que concedeu ao TED, Musk sugeriu tornar o algoritmo do Twitter aberto. Em sua visão, isso significa que outras empresas e até mesmos usuários poderiam recomendar correções de erros e sugerir mudanças.

Na conversa, Musk chegou até a indicar como isso deveria ser feito: colocar o código no GitHub, uma plataforma que hospeda projetos de código aberto.

Autenticação para os usuários do Twitter Blue

Através de diversos tuítes, Musk também sugeriu que os usuários que pagam pelo Twitter Blue, um serviço de assinatura que adiciona recursos extras às contas dos usuários, uma marca para mostra que a conta foi autenticada.

O Twitter Blue cobra uma assinatura mensal de US$ 2,99 e permite recursos premium como “desfazer tuítes.” Isso seria, na visão de Musk, diferente da marca de seleção azul, que indica que uma conta é autêntica.

Assinatura

Musk também indicou, em uma série de tuítes, de que o Twitter deveria mudar seu modelo de negócios. Em vez de depender de publicidade, um modelo consagrado nas redes sociais, como Facebook, Instagram e YouTube, a plataforma deve cobrar mais por assinaturas.

Eliminar os “exércitos de bots” e aumentar tamanho dos tuítes

Recentemente, Musk disse que uma de suas prioridades seria eliminar os “exércitos de bots” no Twitter, que enviam spam e executam golpes. O bilionário não indicou como faria isso.

O dono da Tesla disse também que o “Twitter está muito atrasado em tuítes longos”, ao responder um longo tópico de discussão de Yishan Wong, ex-executivo-chefe da empresa de mídia social Reddit.

O Twitter, em sua origem, permitia tuítes de apenas 140 caracteres. Por isso, era chamado de microblog. Agora, é permitido o dobro de caracteres (280), com a possibilidade de criar o que os usuários chamam de threads, o que permite longas discussões.

Leia também

Brand Stories