Pacote de remuneração de R$ 804,4 milhões depende de “metas ambiciosas”, diz Nubank

Segundo a empresa, o CEO e fundador David Vélez poderá receber R$ 678,9 milhões (84% do montante). Mas terá de cumprir diversas metas para ter direito à remuneração

0
0
Leia em 3 min

O Nubank está avaliado em US$ 27,7 bilhões

O Nubank está acostumado a ganhar destaque por seus feitos. Entre eles, uma série de aportes milionários e o IPO realizado em dezembro de 2021, na Bolsa de Nova York, quando foi avaliado em US$ 41,5 bilhões. Na semana passada, porém, a fintech movimentou o mercado por outro motivo.

Documentos protocolados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e na Securities and Exchange Commission (SEC) indicaram que a empresa prevê pagar, em 2022, R$ 804,4 milhões à sua diretoria, formada por 8 membros, entre eles, o fundador e CEO David Vélez. Um valor bem acima da média do mercado.

Em meio ao alvoroço gerado por esse montante, o Nubank divulgou um comunicado ao mercado nesta segunda-feira, 2 de maio, com o objetivo de “corrigir e esclarecer informações incorretas e descontextualizadas” sobre o pacote em questão.

Segundo a empresa, do total de R$ 804,4 milhões, R$ 678,9 milhões – ou 84% do montante – referem-se a um reconhecimento contábil anual do Contingent Share Award (CSA) e os outros 16%, R$ 125,5 milhões, estão relacionados ao restante da remuneração da diretoria em 2022.

“O CSA é um programa de remuneração em ações outorgado ao nosso fundador e diretor-presidente David Vélez, condicionado ao cumprimento de metas ambiciosas, e que deverá representar praticamente 100% da remuneração total do Sr. Vélez ao longo dos próximos 5 anos”, afirmou, na nota, a companhia.

O Nubank ressaltou que o período de cinco anos deverá ser o prazo que Vélez permanecerá na empresa para “fazer jus aos frutos do CSA”, que foi aprovado pelo Conselho de Administração do Nubank em outubro de 2021.

O CSA estabelece que as ações do Nubank serão emitidas a Vélez como prêmio de incentivo de longo prazo, em linha com o desempenho específico das ações da companhia. Ele será remunerado com um número de ações ordinárias Classe A igual a 1% do capital social da empresa, caso o preço por ação alcance o patamar de US$ 18,69.

O pacote também define que Vélez terá direito a um número de ações ordinárias Classe A igual a 1% do capital social do Nubank, caso o preço por ação da operação chegue a US$ 35,30. Se esses patamares não forem alcançados, sua remuneração variável será de zero nesse intervalo de cinco anos.

“O CSA estabelece metas desafiadoras que refletem patamares de capitalização de mercado atrativos para os nossos acionistas. Desta forma, o CSA cria um alinhamento de interesses de longo prazo, forte e transparente, entre o Sr. Vélez e os nossos acionistas”, ressaltou a empresa.

No comunicado, o Nubank observou ainda que Vélez se comprometeu a doar todas as ações resultantes do CSA a crianças e adultos vulneráveis da América Latina, como parte do movimento Giving Pledge, iniciativa criada por Bill e Melinda Gates, juntamente com o investidor bilionário Warren Buffett.

Na última sexta-feira, 29 de abril, as ações do Nubank encerraram o pregão na Bolsa de Nova York com baixa de 2,44%, cotadas a US$ 6,01. No ano, os papéis da empresa, avaliada em US$ 27,7 bilhões, acumulam uma desvalorização de 36%. Desde o IPO, em dezembro de 2021, o recuo é de 33,2%.

Leia também

Brand Stories