Negócios

Stone reduz em 40% valores de acordo de não competição com fundadores da Linx

Em nova proposta, os fundadores da Linx, Alberto Menache, Nércio Fernandes e Alon Dayan, receberão R$ 185 milhões se acordo de venda com a Stone for fechado para não competir com a empresa. Contrato também foi estendido de três anos para cinco anos

 

Um dos pontos mais criticados da primeira proposta da Stone pela Linx, os valores do acordo de não competição dos fundadores da Linx, Alberto Menache, Nércio Fernandes e Alon Dayan, foi reduzido em até 40%.

De acordo com os novos termos, o acordo foi também estendido de três anos para cinco anos. Alberto Menache, que é CEO da Linx, caso o contrato seja fechado, receberá R$ 19 milhões por ano (R$ 95 milhões no período completo).

Ele também receberá R$ 5 milhão por um contrato de um ano de trabalho com a Stone. Antes, o acordo previa R$ 15 milhões por três anos. Ao fim do primeiro ano, o contrato pode ser renovado.

Os outros dois fundadores receberão valores menores pelo acordo de não competição. Nércio Fernandes terá um pacote de R$ 15 milhões por ano (R$ 75 milhões nos cinco anos) e Alon Dayan, R$ 3 milhões por ano (R$ 15 milhões).

Na primeira proposta, os três receberiam somados R$ 305 milhões por um período de três anos, segundo a Stone.

Essa cláusula foi bastante criticada por acionistas minoritários, em especial a gestora Fama Investimentos que, em carta aberta, disse que os fundadores da Linx receberiam, incluindo a venda das 26 milhões de ações que são donos mais o prêmio por não competição, um valor de R$ 46 por ação, prêmio de aproximadamente 35% sobre o valor a ser recebido pelos minoritários.

“Não mudou nada”, diz Fabio Alperowitch, da Fama ao NeoFeed, referindo-se a nova proposta. “Depois de toda essa discussão pública, o fato de terem reafirmado a estrutura só mostra o quanto concordam com ela. Anteriormente, podiam até alegar inocência e falta de sensibilidade Agora não mais. Piorou ao invés de melhorar.”

De acordo com Alperowitch, a empresa é extremamente estratégica. “Não fazer um processo competitivo aberto significa querer proteger os interesses pessoais em detrimento dos acionistas.”

Segundo apurou o NeoFeed, os novos valores foram negociados diretamente com os fundadores e com um comitê formado pelos conselheiros independentes da Linx, composto por João Cox e Roger Ingold.

Nesta terça-feira, 1º de setembro, a Stone aumentou a oferta pela Linx. De acordo com a nova proposta, a Stone vai pagar o equivalente a R$ 35,10 por ação.

Na proposta anterior, a Stone pagava o equivalente R$ 33,7625 por cada ação da Linx. Ontem, as ações da Linx fecharam cotadas a R$ 35,58 na B3.

Com a nova oferta, a Stone avalia a Linx em R$ 6,284 bilhões, um aumento de 3,9% sobre o valor anterior.

A oferta da Totvs, que era parte em dinheiro e parte em ações da empresa, era de R$ 34,09 por ação da Linx.

A Stone está também reduzindo a multa prevista no acordo de associação de R$ 605 milhões para R$ 473,7 milhões caso a transação fosse fechada com um terceiro.

Além disso, a multa compensatória em caso de não aprovação da aquisição pela Stone pelos acionistas da Linx em assembleia geral foi reduzida de R$ 151 milhões para R$ 112,5 milhões.

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também

Newsletter

Receba notícias do NeoFeed no seu e-mail

 
Li, compreendi e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade
do site.

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

NEOFEED REPORT

Conheça os conteúdos do braço de análise e inteligência de mercado do NeoFeed

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO

Newsletter

Receba notícias do NeoFeed no seu e-mail

 
Li, compreendi e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade
do site.