Totvs paga R$ 1,8 bi pelo controle da RD Station

Em sua maior aquisição, a Totvs faz um movimento ousado e leva para casa uma das startups que mais crescem no mercado brasileiro. A disputa foi acirrada com a Locaweb

0
83
Leia em 5 min

Dennis Herszkowicz, CEO da Totvs

Conhecida por seu histórico de aquisições, a Totvs está ampliando sua coleção com uma grande tacada. A empresa acaba de anunciar, durante a realização do Totvs Day, um acordo para a compra do controle da também brasileira RD Station.

Pelos termos da transação, a Totvs pagará R$ 1,861 bilhão por uma fatia de 92% da operação da companhia de marketing digital – a startup foi avaliada em R$ 2 bilhões.

“Trata-se uma aquisição histórica para a Totvs”, disse Dennis Herszkowicz, CEO da Totvs, ao fazer o anúncio. “Estamos cumprindo a promessa de avançar na nossa frente de business performance”, afirmou o executivo. “Não existem duas companhias como a RD no mercado hoje. E sabemos que foi um acordo bastante competitivo, pois eles tinham uma série de caminhos alternativos e nos escolheram.”

Fundador e CEO da RD Station, Eric Santos também participou, via videoconferência, do anúncio. “A forma como fomos construindo esse acordo foi muito lastreada em admiração e confiança mútuas”, afirmou Santos. “Conseguimos entender muito bem quais eram as fortalezas de cada um dos lados. E estamos muito animados com o que podemos fazer juntos nos próximos anos.”

Essa é a maior aquisição da história da Totvs. Ela disputou o negócio com a Locaweb, que acaba de fazer um follow on, em que captou R$ 2,75 bilhões, sendo que R$ 2,2 bilhões foram para o caixa da empresa para aquisições.

Segundo apurou o NeoFeed, a Locaweb chegou fazer uma proposta perto de R$ 1,5 bilhão pela RD Station. No fim, a Totvs subiu o valor e acabou ficando com a startup.

Contou para o negócio, a disposição da Totvs de não perder essa disputa – ela já havia tentado comprar a Linx em uma batalha com a Stone, que acabou levando a melhor.

A Totvs avaliou a RD Station a um múltiplo de 10 vezes a sua receita recorrente, estimada na casa dos R$ 200 milhões anuais. A startup tem também um caixa da ordem de R$ 200 milhões, que será absorvido pela empresa fundada por Laércio Cosentino.

A Hubspot, uma empresa equivalente a RD Station, está sendo negociada na bolsa de Nova York com um múltiplo de mais de 20 vezes a sua receita. Ela vale US$ 20,8 bilhões e teve uma receita recorrente anual de US$ 883 milhões em 2020.

Santos, da RD Station, também optou por fechar com a Totvs. Ele segue como acionista da operação e terá autonomia para comandar a empresa. No acordo, foram estabelecidas metas até 2024, que podem aumentar o valor que o empreendedor receberá pela transação.

Todos os fundos que investiram na RD Station, como o Astella, Riverwood Capital, DGF, Redpoint eventures, TPG Growth e Endeavor Catalyst estão deixando a base de acionistas da startup. Os fundadores da RD Station, assim como alguns investidores-anjo, permanecem com a fatia remanescente que não foi vendida.

Alguns pontos unem as duas operações. Conhecida historicamente por sua atuação no segmento de pequenas e médias empresas, a Totvs tem uma base de mais de 40 mil clientes ativos e uma receita líquida de R$ 2,4 bilhões, dos quais, cerca de R$ 700 milhões são de receita recorrente, no formato de software como serviço.

Adepta do mesmo modelo, a RD Station, por sua vez, tem uma receita recorrente de mais de R$ 200 milhões, com mais de 25 mil clientes ativos, distribuídos em mais de 20 países.

Assim como na Totvs, boa parte dessa carteira é formada por empresas de pequeno e médio porte, o que, do lado da RD Station, também pesou na decisão, dado o maior potencial de vendas cruzadas do que no caso de uma aquisição pela Locaweb.

“Nós estimamos um mercado potencial no Brasil de US$ 5 bilhões”, afirmou Santos, sobre o segmento de atuação da companhia. “E que pode ser multiplicado por dez vezes se considerarmos outros produtos e geografias.”

Esse potencial em outras fronteiras e o fato de a RD Station já atuar em outros mercados além do Brasil foram alguns entre tantos componentes que pesaram no acordo do lado da Totvs.

“A Totvs já opera, claro, há muitos anos na América Latina”, afirmou Herszkowicz. “Mas, ao mesmo tempo, nós sabemos que a dimensão dos softwares de gestão é muito doméstica, por conta dos aspectos fiscais e tributários.”

Ir além dos softwares de gestão é justamente o principal racional por trás da aquisição. Há pouco mais de um ano, a Totvs elegeu duas novas frentes de atuação para ampliar seus horizontes e o seu mercado endereçável.

A primeira delas foi a área de techfin, que começou a ganhar musculatura com a aquisição da Supplier, em setembro de 2019, por R$ 452 milhões, e que já conta com oito produtos no portfólio.

Agora, ao trazer a RD Station para dentro de casa, a Totvs quer replicar os avanços conquistados no segmento de produtos e serviços financeiros também na área de business performance, com softwares e ofertas que ajudam sua base de clientes a vender mais.

“A RD Station será a ponta-de-lança e o carro-chefe dessa dimensão de business performance”, observou Juliano Tubino, vice-presidente de estratégia e de novos negócios da Totvs. “Eles nos trazem uma capacidade de crescimento e uma qualidade de produto já provada, que dará fôlego para a construção desse nosso ecossistema.”

Sob esse desenho, Herszkowicz ressaltou que o mercado potencial tanto em business performance como em techfin é bem superior ao segmento de softwares de gestão, pelo qual a Totvs ficou conhecida. Entretanto, ele destacou que essa oferta tradicional seguirá sendo um pilar importante no modelo da companhia, justamente por alimentar com informações as demais frentes do portfólio.

“A área de gestão é onde geramos os dados, que serão o grande combustível para tudo o que fazemos e faremos”, observou. “Por isso, ela seguirá sendo o coração do nosso ecossistema, mesmo que no futuro não seja a nossa maior dimensão de negócios.”

Leia também