B3 saca R$ 600 milhões do bolso e aporta em uma nova empresa com a Totvs

Por enquanto batizada de TFS, a nova empresa da Totvs e da B3 focará em serviços financeiros direcionados especialmente para fintechs e bancos de pequeno e médio portes

0
131
Leia em 2 min

Não são poucos os movimentos de aquisições e fusões por trás da agenda de mudanças em curso na indústria financeira do País. O mais recente deles foi divulgado justamente na noite desta segunda-feira, 12 de julho. E envolve dois nomes de peso no mercado de tecnologia e de finanças.

A Totvs anunciou a aprovação pelo seu Conselho de Administração para a criação de uma nova companhia de serviços financeiros, que nasce a partir da sua divisão dedicada ao segmento e que, por enquanto, será batizada de TFS, tendo como sócia minoritária a B3.

Pelos termos do acordo, a B3 fará um aporte primário de R$ 600 milhões na operação e passará a deter uma fatia de 37,5% no novo negócio. Segundo comunicado, a transação avalia a nova companhia em R$ 1,6 bilhão. Ela terá uma posição líquida de caixa, após a injeção de recursos, de R$ 650 milhões.

“Fazer isso em parceria com a B3, que tem inquestionável track record e credibilidade na construção e operação de plataformas tecnológicas críticas para o setor financeiro, nos honra e indica o enorme potencial dessa oportunidade”, afirmou, em nota, Dennis Herszkowicz, CEO da Totvs.

Também no comunicado, Gilson Finkelsztain, CEO da B3, acrescentou: “A B3, como parceira nessa jornada, busca formas de expandir sua presença em áreas adjacentes ao nosso negócio principal, nas quais encontre alto potencial de crescimento e possa agregar valor, aprofundando vínculos e proximidade no dia a dia com todos os clientes.”

Sob a nova estrutura, a TFS será presidida pelo CEO Denis Piovezan, ex-vice-presidente da Linx. “O suporte e experiência da TOTVS e da B3 trazem robustez e segurança para a nova operação. O objetivo é atingir um crescimento acelerado e, futuramente, buscar o IPO”, ressaltou o executivo, na nota.

Com um time de 400 funcionários, a divisão que irá compor a operação registrou uma receita realizada de cerca de R$ 140 milhões em 2020. Entre outras ofertas, com foco em segmentos como fintechs e bancos de médio e pequeno portes, o portfólio da TFS incluirá plataformas de fundos de investimento, de soluções de core banking e uma ferramenta de processamento e gestão para operações de cartões private label.

No comunicado, a Totvs acrescentou que, para ampliar esse portfólio, os planos para a TFS incluem aquisições e parcerias, aliadas a um plano de desenvolvimento orgânico. A transação ainda está sujeita à aprovação das autoridades.

Leia também