Com TVs, Amazon amplia ambição para dominar as salas de estar

Depois de ocupar espaço nas casas com o dispositivo multimídia Fire TV Stick, a linha de alto-falantes Echo e com seus serviços de streaming, a Amazon terá sua própria linha de TVs nos EUA

0
506
Leia em 3 min

A linha Fire TV Omni Series é uma das novidades da Amazon na categoria

Do início como varejista online, a Amazon evoluiu para um leque muito mais amplo, com tentáculos e negócios em diversos segmentos. Dentro desse pacote, a área de entretenimento é um dos braços que vêm ganhando cada vez mais musculatura na gigante americana. E tem, agora, um novo reforço.

Depois de ocupar espaço nas casas dos consumidores com ofertas como o dispositivo multimídia Fire TV Stick, a linha Echo, de alto-falantes inteligentes, e seus serviços de streaming, a Amazon anunciou nesta quinta-feira, 9 de setembro, o lançamento de aparelhos de TVs com sua própria marca.

A entrada na categoria acontece com duas linhas, batizadas de Fire TV Omni Series e Fire TV 4 Series. Até então, a empresa se restringia à venda de TVs de fabricantes como Toshiba, além de dispositivos de acesso a serviços de streaming conectados a esses aparelhos.

Com preços na faixa de US$ 409,99 a US$ 1.099 e resolução 4K Ultra HD, a família Fire TV Omni Series contempla aparelhos de 43, 50, 55, 65 e 75 polegadas. Mais acessível, a linha Fire TV 4 Series tem modelos de 43, 50 e 55 polegadas, com preços que vão de US$ 369,99 a US$ 519,99.

Todos os aparelhos começarão a ser vendidos apenas no mercado americano, a partir de outubro. Além dos canais da própria Amazon, eles poderão ser comprados por meio do site da Best Buy. A estratégia inclui ainda o lançamento da nova versão do Fire TV Stick.

“Nós reimaginamos o que uma TV pode fazer ao construi-la com duas de nossas experiências mais populares: o poder inteligente e sempre disponível da Alexa e a abordagem de entretenimento de conteúdo avançado da Fire TV”, afirmou, em nota, Daniel Rausch, vice-presidente da divisão de dispositivos e serviços de entretenimento da Amazon.

Os aparelhos reforçam, de fato, a integração com o ecossistema da Amazon. Por meio da assistente virtual Alexa, por exemplo, é possível controlar a reprodução de conteúdos e as configurações do aparelho, além de programar a TV para acessar a previsão do tempo e as últimas notícias, entre outras funções.

Ao mesmo tempo, a assistente vai trazer recomendações de filmes e outros conteúdos, inclusive em serviços como Netflix, e permitir que o usuário faça buscas por meio de filtros como gênero, atores e produções premiadas.

Os dispositivos também se conectam aos alto-falantes da linha Echo e trazem um recurso específico, relacionado ao Prime Video, serviço de streaming da Amazon, no qual o espectador consegue buscar mais informações sobre uma determinada produção que está assistindo.

A Amazon também programa o lançamento de outros recursos, ainda para esse ano. Entre eles, a possibilidade de o usuário visualizar e controlar todos os dispositivos inteligentes conectados em sua casa, a partir das TVs. Outra função prestes a sair do forno será fazer chamadas de vídeo diretamente dos aparelhos, com integração à plataforma da Zoom.

Com esses lançamentos, a Amazon dá sequência a uma estratégia de marcas próprias que já inclui exemplos em segmentos como eletrônicos, roupas e utensílios domésticos. E sai na frente de rivais como a Apple, que já divulgou planos de lançar sua própria TV, mas nunca concretizou essa estratégia.

Atualmente, a empresa da maçã, ao lado da Roku, é uma das rivais da Amazon no segmento de reprodutores de mídia e de acesso a serviços de streaming.

Em entrevista ao The Wall Street Journal, Gene Munster, analista de tecnologia da Loup Ventures, destaca que uma TV de marca própria da Amazon “dialoga com todo o roadmap de produtos” da empresa. E destaca que eles irão atacar “qualquer coisa na qual o consumidor gastar seu tempo”.

Leia também

Brand Stories