Negócios

Em primeira aquisição pós-IPO, Infracommerce mira e-commerce na América Latina

Pelo valor US$ 9 milhões, a Infracommerce, que opera o comércio eletrônico de outras companhias, comprou a Summa Solutions, que tem sede na Argentina, com o objetivo de se expandir pela região latino-americana

 

Kai Schoppen, CEO e fundador da Infracommerce

A Infracommerce, empresa que opera o e-commerce de diversas marcas e que levantou, em maio deste ano, R$ 902 milhões em seu IPO na B3, anunciou nesta segunda-feira, dia 19 de julho, uma aquisição que lhe permitirá crescer no segmento de soluções para marketplaces no Brasil e lhe fará entrar no mercado B2B em outros países.

Através da subsidiária New Retail, a companhia comprou, pelo valor de US$ 9 milhões, a argentina Summa Solutions, uma empresa que desenvolve uma ferramenta de gestão que permite que grandes marcas abram seus canais para que outros lojistas possam vender seus produtos. O valor da aquisição considera um múltiplo de 1,3 vezes a receita operacional líquida total esperada para 2021 da Summa.

“A Summa se encaixa na estratégia da companhia de expandir o alcance tecnológico de seu ecossistema e de ganho de escala em projetos de ecommerce B2C e B2B na América Latina, uma vez que possui clientes em 15 países”, informou a Infracommerce, em fato relevante.

Com a maior parte dos seus clientes no Brasil, a Infracommerce oferece aos seus clientes o chamado “full commerce”. Ou seja, as empresas que querem vender na internet podem contratar a companhia para desenvolver o site, oferecer a plataforma de vendas, operar a logística (do recebimento do pedido até a entrega) e até cuidar do relacionamento com os clientes.

Os clientes da Infracommerce podem ser tanto aqueles que vendem para o consumidor final (B2C) como para outras empresas (B2B), incluindo os que operam como marketplaces.

A chegada da Summa adiciona ao ecossistema da companhia uma solução própria de seller center para marketplaces, já integrada a 20 clientes, como Intercorp, Elektra e Desportes Marti.

A maior novidade, porém, será a incorporação de clientes B2B da adquirida em outros países. Com sede na Argentina, a Summa foi fundada em 2009 por Jose Maria Beltramini e Aldo  Bressan, que seguem no negócio, e já tocou mais de 300 projetos de e-commerce na América Latina, para clientes como Farmacity, Unilever e Midea.

A compra da Summa representa mais um esforço da Infracommerce para crescer de maneira inorgânica. Em janeiro, a empresa já havia comprado a New Retail, que opera sob a marca Brandlive e possui operações na Argentina, Colômbia, Chile e Peru.

“A união da Summa, Brandlive e Infracommerce cria um player de referência para projetos de digitalização de indústrias e marcas na América Latina, com o modelo de CXaaS (costumer experience as a service)”, disse Kai Schoppen, CEO e fundador da Infracommerce, em fato relevante.

No primeiro trimestre, a Infracommerce registrou lucro líquido de R$ 3,9 milhões, após prejuízo de R$ 7,9 milhões em igual período do ano passado. Às 11h42, as ações da companhia caíam 1,22%, a R$ 21,85.

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO