Negócios

Grupo que abalou Wall Street prepara nova ofensiva contra o mercado

Fórum de investidores do varejo, o WallStreetBets vai usar a tecnologia de blockchain para lançar um aplicativo de carteiras negociadas em bolsa, com o objetivo de combater a “corrupção” e a manipulação do mercado financeiro

 

Página do WallStreetBets no Reddit

Fórum de investidores do varejo na plataforma Reddit, o WallStreetBets ganhou os holofotes em janeiro deste ano, quando foi o epicentro da chamada “revolta das sardinhas”. O movimento valorizou as ações de empresas em dificuldades financeiras, como a GameStop, e gerou enormes perdas a fundos hedge.

Passados pouco mais de três meses depois de a cruzada abalar as estruturas de Wall Street, o grupo prepara uma nova ofensiva no mercado. O WallStreetBets anunciou o plano de usar a tecnologia de blockchain para lançar um aplicativo de carteiras negociadas em bolsa.

De acordo com o fórum, esse produto busca combater a manipulação do mercado financeiro. E é mais um passo na missão do movimento de lutar contra o que eles chama de  a “corrupção” praticada por bancos e fundos de hedge. Outro objetivo é reduzir a dependência dos investidores do varejo em relação a esses “tubarões”.

“Para o WallStreetbets, esse lançamento é uma mudança de estratégia”, afirmou, em comunicado, BTCVIX, pseudônimo usado pelo CEO do grupo, que citou os protestos realizados após a crise de 2008 e as ações organizadas na “revolta das sardinhas”.

“Tentamos derrotar os insiders de Wall Street em seu próprio jogo”, disse BTCVIX. “E agora, com nosso portfólio negociado em bolsa, que será lançado em breve, pretendemos simplesmente migrar do sistema para algo que seja mais justo e dependa da comunidade.”

Na nota, o discurso foi reforçado por Jaime Rogozinski, fundador do WallStreetBets. “O amálgama da tecnologia blockchain com os mercados financeiros é o próximo passo lógico para as finanças. E não apenas em Wall Street, mas em todos os lugares”, afirmou.

Rogozinski criou o WallStreetBets em 2012, quando trabalhava como consultor para o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em Washington. Cansado das opções reservadas para pequenos investidores, ele decidiu reunir pessoas dispostas a apostar em operações mais arriscadas.

Hoje, o fórum tem mais de dois milhões de membros. Na esteira dessa popularidade, reforçada em janeiro, Rogozinski vendeu os direitos de sua história à RatPac Entertainment, produtora que poderá adaptar o conteúdo em diversos formatos, de filmes e podcasts a documentários e séries de televisão.

Antes dessa história ganhar as telas, o WallStreetBets disse estar trabalhando com fintechs e especialistas em blockchain no novo projeto. Segundo o grupo, o aplicativo irá oferecer exposição a uma variedade de ativos, que serão administrados de maneira completamente descentralizada.

Na prática, os investidores do varejo usariam um “token de governança” para decidir as questões relacionadas aos portfólios negociados em bolsa pelo grupo, como o nível de exposição de cada fundo sob a responsabilidade do WallStreetBeats.

“Qualquer investidor de varejo com acesso à internet em breve poderá usar um aplicativo associado para não apenas obter exposição aos fundos, mas também participar de pesquisas para saber como seus índices são ponderados”, informou o grupo.

“Assim, por exemplo, se os detentores dos tokens acreditarem que as ações da Tesla devam compreender 90% em vez de 10% de um portfólio específico, eles podem votar por meio de uma transação simples”, observou o WallStreetBeats, na nota.

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO