Negócios

Rumo ao primeiro trilhão: XP alcança a marca de R$ 715 bilhões sob custódia

De acordo com dados preliminares divulgados nesta manhã, a empresa registrou um crescimento de 96% em ativos sob custódia no primeiro trimestre de 2021, comparado a um ano antes. Nesse intervalo, o número de clientes ativos avançou 47%, para 2,99 milhões

 

Na manhã desta quinta-feira, 22 de abril, a XP divulgou os dados preliminares apurados pela companhia no primeiro trimestre de 2021. Entre os indicadores, um número, em particular, se destaca no relatório.

Entre janeiro e março, a empresa alcançou a soma de R$ 715 bilhões de ativos sob custódia, em mais um passo dentro da sua meta de alcançar a marca de R$ 1 trilhão em sua operação.

O montante representou um crescimento de 96% sobre o primeiro trimestre de 2020, quando a XP tinha R$ 366 bilhões sob custódia. De acordo com a empresa, o salto observado foi impulsionado por R$ 252 bilhões de arrecadação líquida e R$ 97 bilhões de valorização do mercado.

“Em um período extremamente desafiador de 12 meses desde a chegada da pandemia, o modelo de negócios e a estratégia da XP provaram sua resiliência e reforçaram a eficácia da inovação e da adaptação ao fortalecer as relações com funcionários, clientes e parceiros”, escreveu a empresa, no relatório.

Na comparação com o primeiro trimestre de 2020, o número de clientes ativos cresceu 47%, para 2,99 milhões, e 8% em relação ao volume registrado entre outubro e dezembro do ano passado. A média mensal de entrada de clientes nesse intervalo foi de 44 mil, contra 72 mil no quarto trimestre de 2020.

Segundo a empresa, essa expansão refletiu a sazonalidade e a redução das taxas de corretagem para a negociação de ações online nas plataformas Rico e XP.

Outro ponto destacado foi a carteira de crédito, que alcançou a cifra de R$ 4,7 bilhões no fim de março, representando 0,7% dos ativos sob custódia.

Já a média diária de negociações de varejo que geram receita (DARTs) cresceram 23%, para 3,2 milhões, em relação ao quarto trimestre de 2020. Já na comparação anual, o avanço foi de 91%.

Listada na Nasdaq, a XP está avaliada em US$ 22,1 bilhões. Em 2021, as ações da empresa acumulam queda de 2,3%.

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO