Negócios

Joe Biden: o melhor amigo de Wall Street (até agora)

Desde que Joe Biden tomou posse, em 20 de janeiro, o índice S&P 500 subiu 24,1%, o melhor desempenho de um presidente dos Estados Unidos desde a Segunda Guerra Mundial, segundo estudo do J.P. Morgan

 

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden (Foto: Andrew Harnik/Associated Press)

O presidente americano Joe Biden, que tomou posse em 20 de janeiro deste ano, está tendo o melhor desempenho dos últimos 75 anos. Pelo menos, na bolsa de valores.

Um relatório que o banco J.P. Morgan divulgou nesta segunda-feira, 26 de abril, diz que o desempenho do índice S&P 500 desde a posse de Biden é o melhor desde o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, quando comparado a qualquer outro presidente americano nos 100 primeiros dias de governo.

Na verdade, Biden ainda não completou os 100 primeiros dias de sua administração – isso vai acontecer no dia 30 de abril. Mas até agora, o índice S&P 500 subiu quase 24,1% desde sua posse. O melhor desempenho até então era do presidente democrata John F. Kennedy (1917-1963), nos anos 1960, cuja marca foi de 18,5%.

Nos primeiros 100 dias do ex-presidente Donald Trump, o desempenho do S&P 500 foi de 11,4%. “Nada mal para alguém que Trump chamava durante a campanha de ‘Sleepy Joe’ (algo como Joe Soneca)”, escreveu John Normand, estrategista do J.P. Morgan, em seu relatório.

O desempenho, na visão do J.P. Morgan acontece pelos estímulos monetários recordes, por conta de um pacote de US$ 2 trilhões para recuperar a economia americana dos efeitos do novo coronavírus.

A questão é se essa lua de mel com o mercado vai durar. Afinal, os investidores têm pela frente aumento de impostos das empresas, o que deve brecar o lucro das grandes corporações e, consequentemente, os ganhos de Wall Street.

Outro ponto: será que esse resultado da bolsa pode ser atribuído à administração do novo presidente dos Estados Unidos? No caso de Biden, é especialmente difícil avaliar se o mercado está reagindo a nova gestão ou se simplesmente a locomotiva segue andando a todo vapor, independentemente de Biden.

“Qualquer um que se tornasse presidente este ano teria um vento a favor bastante significativo”, disse Art Hogan, estrategista-chefe da National Securities, ao site da CBNC. “Você está chegando a um ponto em que basta não bagunçar as coisas e apenas melhorar o que precisava ser feito.”

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO