Agora no ESG? A máquina de aquisições do J.P. Morgan não para

Um dia depois de comprar uma fatia de 40% do brasileiro C6 Bank, o banco americano anuncia a aquisição da OpenInvest, plataforma de investimentos em ativos de ESG. Esse é o quarto investimento da empresa em um ativo digital em seis meses

0
64
Leia em 3 min

Um dia depois de divulgar a compra de uma participação de 40% do brasileiro C6 Bank, o J.P. Morgan está de volta às compras, em mais um movimento que reforça o seu apetite por ativos digitais. Dessa vez, porém, com um ingrediente adicional.

O banco americano anunciou nesta terça-feira, 29 de junho, a aquisição da OpenInvest, fintech de São Francisco dona de uma plataforma de investimentos ESG. O acordo, cujos termos financeiros não foram revelados, foi fechado por meio da divisão de Asset & Wealth Management da instituição.

“Os clientes estão cada vez mais focados em entender o impacto ambiental, social e de governança de seus portfólios, e em usar essas informações para tomar decisões de investimentos que se alinham melhor com seus objetivos”, afirmou, em nota, Mary Callahan Erdoes, CEO da J.P. Morgan Asset & Wealth Management.

Fundada em 2015, a OpenInvest havia captado, até então, US$ 24,3 milhões junto a investidores como Andreessen Horowitz, QED Investors, Y Combinator e ABN Amro Ventures. A companhia manterá sua marca e será integrada às ofertas de Private Bank e de Wealth Management do J.P. Morgan.

“Nossa parceria com o J.P. Morgan combina tecnologias líderes de ESG com o maior banco da América e a capacidade de atingir quase metade de todos os lares americanos”, disse Joshua Levin , cofundador e diretor de estratégia da OpenInvest.

Com o seu portfólio, a OpenInvest permite criar carteiras personalizadas aos clientes interessados em investir em ativos de ESG. Para chegar a esse modelo, a plataforma da fintech extrai dados de mais de 35 fontes.

Segundo o J.P. Morgan, o anúncio de hoje se conecta com a aquisição, em dezembro, da 55ip, fintech que automatiza a construção de carteiras com eficiência tributária.

“Com o tempo, o J.P. Morgan alavancará os recursos ESG da OpenInvest com as estratégias fiscais inteligentes da 55ip para fornecer soluções personalizadas para clientes de Private Bank e Wealth Management”, destacou o banco.

Esse é o quarto investimento realizado pelo J.P. Morgan em uma fintech ou operação digital em seis meses. Além do C6 Bank, da OpenInvest e da 55ip, o banco anunciou a aquisição, em 17 de junho, a compra da Nutmeg, plataforma britânica de robô-advisor, em um negócio de quase US$ 1 bilhão.

O apetite demonstrado pelo banco está em linha com uma declaração de seu CEO, Jamie Dimon. No ano passado, o executivo afirmou que o J.P. Morgan seria “muito mais agressivo” na busca por potenciais aquisições para reforçar seu portfólio na disputa com as big techs e fintechs.

Leia também