Espaçolaser compra a Cela para “arrancar os pelos” da população chilena

A rede brasileira de depilação a laser vai desembolsar US$ 4,6 milhões para assumir o controle da Cela, empresa chilena com 11 lojas e uma base de 100 mil clientes. Com o acordo, a empresa reforça sua atuação internacional, que já conta com operações na Argentina e na Colômbia

0
189
Leia em 2 min

Em meados de abril, a brasileira Espaçolaser desembarcou na Colômbia, levando, na bagagem, US$ 300 mil para iniciar sua escalada no país com uma operação própria. Menos de um mês depois, a rede de franquias de depilação a laser está acrescentando mais um ponto em seu mapa internacional.

A companhia anunciou nesta terça-feira, 11 de maio, a aquisição do controle das operações da Cela (Centro Estético Láser Alemán), acordo que marca sua entrada no Chile. Com uma base de 100 mil clientes, a Cela tem uma rede de 11 lojas próprias, além de uma operação de e-commerce.

Nos termos da transação, a Espaçolaser vai pagar US$ 4,6 milhões por uma fatia de 66,7% no negócio. O valor será dividido em uma parcela inicial de US$ 1,5 milhão. O saldo remanescente de US$ 3,1 milhões será pago em até 36 parcelas variáveis, a partir do fechamento do negócio, previsto para acontecer em 24 de maio.

A internacionalização da Espaçolaser teve início em 2018, com a abertura de uma primeira unidade em Buenos Aires, na Argentina. Hoje, a empresa tem seis unidades no país, onde opera sob a marca Definit. No Brasil, a companhia mantém uma rede com 572 lojas, entre operações próprias e franqueados.

A expansão dessa rede, no Brasil e, ao que tudo indica, também no exterior, foi um dos destinos destacados pela Espaçolaser para os recursos do IPO da companhia, realizado em fevereiro deste ano. Na oferta, a empresa captou R$ 2,64 bilhões.

A compra da Cela marca a primeira aquisição internacional realizada pela Espaçolaser desde a abertura de capital.

Outra frente que tem ganho peso na estratégia da companhia é a aquisição de unidades de franqueados. A última delas foi anunciada na segunda-feira e envolveu 21 unidades nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Paraíba.

Desde o IPO, as ações da rede, avaliada em R$ 4,03 bilhões, acumulam uma desvalorização de 7,8%. Em 2020, a Espaçolaser reportou uma receita de R$ 585,3 milhões, queda de 9,6% sobre 2019. No período, o lucro líquido ajustado recuou 53,6%, para R$ 37,4 milhões.

Leia também

Brand Stories