EXCLUSIVO: Na área de wealth, XP traz a Azimut (e R$ 11 bilhões) para “dentro de casa”

A empresa fecha uma parceria, que pode se concretizar em uma sociedade, para plugar a Azimut Brasil Wealth Management em sua plataforma. Com isso, põe R$ 11 bilhões em seu ecossistema

0
167
Leia em 3 min

O app criado pela XP para a Azimut Brasil Wealth Management. A cara é da Azimut e o motor é da XP

A XP está dando hoje um grande passo para ganhar ainda mais musculatura na sua divisão de wealth services, a área que conecta multi family offices e consultorias na sua plataforma. A companhia revelou, com exclusividade ao NeoFeed, que está trazendo a Azimut Brasil Wealth Management para “dentro de casa”.

Com isso, a área de wealth services da XP, que conta com 140 gestoras e 80 consultorias plugadas, vai saltar de R$ 35 bilhões para R$ 46 bilhões sob custódia numa só tacada. “Queríamos alcançar R$ 70 bilhões até o fim do ano e, com a chegada da Azimut, vamos esticar a meta para R$ 80 bilhões”, diz Rogério Carvalho, sócio e head de wealth services da XP, ao NeoFeed.

Por enquanto é uma parceria comercial, mas as empresas assinaram um acordo que permite a XP comprar uma participação minoritária na Azimut Brasil Wealth Management em um prazo de até cinco anos. “Já nos sentimos sócios. Faremos o máximo para esse casamento ser o mais bem-sucedido possível”, diz Carvalho.

Wilson Barcellos, CEO da Azimut Brasil Wealth Management, diz ao NeoFeed que os 3 mil clientes de wealth da Azimut terão a opção de escolher continuar no sistema próprio da empresa, mas, quando enxergarem a diferença para a plataforma desenvolvida pela XP, a migração será natural.

A Azimut terá um aplicativo white label. Ou seja, terá a sua cara e marca, mas com toda a tecnologia e motor da XP. Além de todos os produtos da XP, os clientes poderão visualizar relatórios, posição consolidada onshore e offshore e os 80 bankers da Azimut estarão conectados na plataforma.

“Vamos acoplar todo o nosso banco de investimentos, a área de M&A, crédito, câmbio, seguradora, cartão de crédito”, diz Carvalho. “É como se a Azimut virasse um banco digital para o cliente dela.” Nos próximos meses, a ideia é a de que até o cartão de crédito tenha a cara da Azimut.

Rogério Carvalho, sócio e head de wealth services da XP

“O que faltava para sermos mais ágeis e focar nossa atividade fim, que é a gestão de patrimônio de grandes clientes, era alguém desenvolver tecnologicamente aquilo que precisávamos”, diz Barcellos. “Não vou precisar gastar 20% do meu tempo com isso e vamos focar no nosso DNA, que é atender o cliente.”

As conversas entre as duas empresas foram iniciadas há seis meses. Quando a XP fez a aquisição de uma participação na AZ Quest, gestora que é do grupo Azimut, as empresas se aproximaram. Walter Maciel, CEO da AZ Quest, fez a ponte entre Carvalho e Barcellos e os dois começaram a conversar.

“Vimos que havia sinergia, mostrei o nosso app white label e disse que eles poderiam vir para a XP e manteriam a marca deles, sem choque para os clientes deles”, diz Carvalho. Isso foi decisivo na escolha de Barcellos pela parceria.

Wilson Barcellos, CEO da Azimut Brasil Wealth Management

“Começamos a entender como é criar uma plataforma tão tecnológica como eles possuem”, afirma Barcellos. O executivo diz que a Azimut já investia em tecnologia, mas, enquanto a empresa estava começando a desenvolver um software, a XP já estava na versão 5.0.

A chegada da Azimut, diz Carvalho, terá também o efeito de atrair outras casas e consultores para a plataforma B2B da companhia. Hoje, a XP faz o app white label para seus principais parceiros como Taler, JGP, WHG e, agora, Azimut. Neste momento está desenvolvendo apps para mais quatro parceiros.

“Essa parceria com a Azimut é uma bela sinalização para o mercado de que a gente quer se posicionar muito forte no segmento wealth. Estamos cada vez mais prontos para atender clientes high e ultra high”, diz Carvalho.

Leia também

Brand Stories