Newsletter

Receba notícias do NeoFeed no seu e-mail

 
Li, compreendi e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade
do site.
 
 

Negócios

Nike fatura alto com a Copa do Mundo de futebol feminino

Camisa da seleção americana feminina é a mais vendida da história da empresa, mostrando que os esforços da companhia para atingir novo público está surtindo efeito

 

Atletas da seleção feminina de futebol com uniforme usado no Mundial que acontece na França

Os resultados trimestrais da Nike ficaram abaixo das previsões de Wall Street pela primeira vez em sete anos, mas as ações pouco sentiram o baque – elas estão sendo negociadas com uma queda de 0,5% nesta terça-feira, 2 de julho.

O motivo é que a companhia comandada pelo CEO Mark Parker revelou que sua estratégia de ganhar espaço entre as mulheres começa a surtir efeito. E a Copa do Mundo de futebol feminino, que está acontecendo na França, tem ajudado a empresa de artigos esportivos americana.

Durante conferência com analistas, Parker informou que o uniforme da seleção feminina é a coleção de camisa de futebol mais vendida da história da empresa, incluindo as masculinas.

A seleção dos Estados Unidos joga hoje contra a Inglaterra, em Lyon. A equipe vencedora da partida disputará a final, que acontece no domingo, 7 de julho.

Das 24 seleções que disputam a Copa do Mundo, 14 delas estampam o logo da Nike, um sinal claro de que a empresa está apostando pesado nesse público. Parker também informou que a Nike assumiu a liderança na área de sutiãs esportivos nos Estados Unidos.

O esforço da Nike de aumentar suas vendas para o público feminino faz sentido. Hoje, 75% de seu vestuário é vendido para homens. Outro foco da empresa é a China, cujas vendas já representam 20% do total da empresa.

“É difícil exagerar o quão importante este ano foi para a o evolução da Nike no público feminino”, disse Parker, aos analistas de Wall Street.

No quarto trimestre, o faturamento atingiu US$ 10,2 bilhões, 4% acima do mesmo período do ano passado. O lucro de US$ 989 milhões, no entanto, representou uma queda de 13%.

A Nike tem feito diversas campanhas enfatizando o público feminino. Em fevereiro deste ano, o filme “Dream Crazier” narrado por Serena Williams, teve um grande impacto na internet. Veja o vídeo abaixo:

Antes do começo da Copa do Mundo de futebol feminino na França, a companhia também fez uma campanha sobre mulheres no futebol. Veja o vídeo abaixo:

Discurso e prática

Apesar dos bons resultados, a Nike tem desafios pela frente. Em agosto do ano passado, duas ex-executivas, Sara Johnston e Kelly Cahill, processaram a empresa nos Estados Unidos, alegando alegando que haviam sido “desvalorizadas” ao receber salários inferiores aos de seus colegas homens.

Em maio deste ano, atletas olímpicas dos Estados Unidos desabafaram contra a Nike. Em depoimento ao jornal americano The New York Times, as corredoras Kara Goucher e Alysia Montaño alegaram que a empresa congelou seus pagamentos de patrocínio quando engravidaram. Ciente de que precisava sustentar o bebê, uma foi obrigada a escolher entre correr e amamentar, e a outra chegou a competir no oitavo mês de gestação.

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO

 

Login

Acesse através
de sua rede social favorita:
Ou e-mail e senha cadastrados:
Esqueceu a senha?

Ainda não tem um conta? Faça seu cadastro

Cadastro

Acesse através
de sua rede social favorita:
Ou através das informações abaixo:
Li e aceito os termos e condições,
além da política de privacidade do site

Já tem um conta? Faça seu login