Para Santander, ação da 3R Petroleum pode mais que triplicar de valor

Banco inicia cobertura de empresa com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 100, e avalia que bom histórico de execução operacional pode capturar efeitos da valorização do petróleo

0
0
Leia em 3 min

Com capital aberto desde 2020, a 3R Petroleum está consolidando seu nome como ativo alternativo dentro do universo de óleo e gás na Bolsa.  Em meio à volatilidade dos papéis da Petrobras por conta dos riscos políticos que carrega, a companhia fruto da união das empresas 3R e Ouro Preto vem demonstrando boa capacidade de execução, a ponto de o Santander avaliar que sua ação tem um potencial de mais do que triplicar de valor até 2023. 

Em relatório divulgado nesta quinta-feira, 14 de julho, os analistas Christian Audi e Eduardo Muniz anunciaram o início da cobertura das ações da 3R Petroleum com recomendação de compra e preço-alvo para 2023 de R$ 100,00. 

Trata-se de uma sinalização bastante otimista, uma vez que os papéis da empresa, avaliada em R$ 5,9 bilhões, acumulam queda de 13,2% em 2022. Considerando o valor em que fecharam o pregão de hoje – R$ 29,11, alta de 1,78% –, a projeção do Santander indica um potencial de alta de 3,4 vezes até o fim do próximo ano. 

Segundo o relatório, a 3R Petroleum combina bem um portfólio robusto com bons índices de execução operacional. A partir de uma série de campos terrestres e no mar vendidos pela Petrobras, a empresa tem sido capaz de revitalizar esses ativos, que apresentam baixo risco exploratório por serem campos maduros. 

Do total de 514,8 milhões de barris de óleo equivalente que os ativos apresentam, cerca de 73% são categorizados em 1P, o que significa que são reservas provadas, petróleo pronto para ser extraído. Para os analistas, os projetos possuem forte potencial de crescimento em termos de produção. 

Além disso, a 3R Petroleum tem custos relativamente baixos para a extração de petróleo. Os cálculos apontam para um custo de US$ 12,90 por barril de óleo equivalente, enquanto a média de seus pares no País é de US$ 13,40 por barril de óleo equivalente. 

“Para nós, os principais fatores que motivam os baixos custos da 3R incluem o alto grau de alavancagem operacional da companhia e as oportunidades de sinergias, com novos ativos se beneficiando da experiência da empresa com ativos já operacionais”, diz trecho do relatório. 

O fato do corpo administrativo ter experiência com o setor de óleo e gás da América Latina contribui para a visão positiva do Santander.

Em outro ponto, a 3R Petroleum também pode se beneficiar da perspectiva de valorização do dólar, considerando que a totalidade de sua receita é dolarizada, enquanto apenas 10% dos custos são na moeda americana. 

Apesar do otimismo, o Santander aponta para os riscos nesse cenário. O primeiro envolve o preço do barril de petróleo. Os analistas estimam que o Brent deve ficar em US$ 99 o barril, em 2022, e em US$ 79 o barril, em 2023. 

“Preços abaixo do esperado são um risco chave, dada a natureza da 3R de ser uma empresa puramente de exploração e produção”, diz trecho do relatório. 

O ganho de eficiência em ativos, especialmente os mais novos, também é algo considerado no relatório, embora os analistas não esperem novas aquisições até o final do ano e em 2023. 

A competição no setor de óleo e gás é mais um ponto levantando pelo Santander. Companhias como PetroRio, Enauta, PetroRecôncavo e private equitys também competem na mesma área, pelos mesmos ativos, algo que deve se intensificar nos próximos anos. 

Leia também

Brand Stories