Negócios

Ray Dalio: perdas corporativas globais podem chegar a US$ 12 trilhões

O investidor Ray Dalio, que administra o maior fundo hedge do mundo, disse que essa é a “maior crise de nossas vidas” e que os governos vão ter gastar muito, muito mais dinheiro. “Muitas pessoas vão quebrar”

 

O investidor Ray Dalio

O investidor Ray Dalio, que administra o fundo hedge Bridgewater Associates, que tem US$ 160 bilhões sob gestão, acredita que as perdas corporativas por conta da pandemia do coronavírus devem somar US$ 12 trilhões no mundo. Nos Estados Unidos, as perdas devem atingir US$ 4 trilhões

“O que está acontecendo não aconteceu durante toda nossa vida. O que temos é uma crise”, disse Dalio, em uma entrevista ao programa Squawk Box, da CNBC. “Haverá pessoas que terão muitas perdas. Há uma necessidade de o governo gastar mais dinheiro, muito mais dinheiro. Muitas pessoas vão quebrar.”

Dalio disse ainda que o pacote de estímulos nos Estados Unidos deveria ser entre US$ 1,5 trilhão e US$ 2 trilhões. A Casa Branca está propondo um pacote de estímulo que varia entre US$ 850 bilhões e US$ 1 trilhão para enfrentar o Covid-19.

Para Dalio, há uma “incapacidade dos bancos centrais em estimular (a economia) de uma forma normal”, acrescentando que eles têm menos capacidade de facilitar as políticas monetárias quando as taxas de juros já estiveram no chão.

“Agora estamos em um ponto em que terá que haver uma reestruturação da dívida e uma monetização disso”, disse Dalio. “Estamos vivendo em um mundo diferente, como os anos 1930, nos quais os anos 1930, 1932, você teve uma desvalorização do dólar.”

Os novos comentários de Dalio sobre a crise do Covid-19 marcam uma mudança de postura do bilionário de fundos hedge. Em fevereiro, ele disse que o impacto do novo coronavírus nos mercados era “provavelmente exagerado.”

“Devido à natureza temporária disso, eu esperaria mais uma recuperação. Provavelmente será algo que em mais um ano ou dois estará muito além do que todos estarão falando”, diz o gestor aos participantes da Conferência Milken em Abu Dhabi.

O fundo administrado por Dalio está enfrentando perdas entre 10% e 20%, de acordo com Dalio. “Perdemos isso, estamos nos questionando por termos perdido esse movimento. O que aconteceu foi que não veio dos lugares habituais, veio das formas não usuais em que ocorrem as crises.”

O jornal econômico The Wall Street Journal teve acesso a uma carta que Dalio enviou a investidores no começo desta semana. No documento, o investidor disse que o coronavírus atingiu a empresa “no pior momento possível”, porque ela tinha uma inclinação a estar comprada em seus ativos, o que significa que estava posicionada para ganhos de mercado. Segundo Dalio, no total, oito fundos da Bridgewater estavam no vermelho. Um porta-voz da Bridgewater se recusou a comentar a reportagem do WSJ.

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO