XP Inc. compra participação na Levante e aumenta sua força em research

A empresa adquiriu uma fatia minoritária na casa de análise e, junto com Spiti e OHM Research, aumenta a sua força em um mercado cada vez mais competitivo. Entenda a estratégia da companhia

0
96
Leia em 3 min

A XP Inc. está aumentando a sua presença no universo de casas de análise, uma das principais portas de entrada e recomendação para investidores. Depois de anunciar, no último dia 16 de julho, a compra de uma participação na OHM Research, a companhia acaba de adquirir uma fatia minoritária na Levante.

O valor do negócio não foi revelado, mas o dinheiro que será aportado na Levante será usado para investir na tecnologia, aumentar o time de profissionais e desenvolver os produtos B2B da casa de análise fundada em 2018 e comandada por Rafael Bevilacqua.

“Vamos colocar a Levante dentro do nosso ecossistema”, diz Karel Luketic, sócio e diretor de conteúdo digital da XP Inc., ao NeoFeed. A XP Inc. traz para dentro de seu ecossistema uma casa de análise em estágio mais avançado, com 100 funcionários e uma base de 40 mil assinantes.

Apesar de ter a sua própria casa de análise, a XP sabe o quão estratégico é esse movimento. Nos últimos tempos, várias casas têm sido compradas por bancos. Afinal, suas recomendações podem levar clientes para suas plataformas.

Em fevereiro deste ano, o Modalmais adquiriu a Eleven Financial. Em maio, o BTG Pactual comprou a Universa, holding que inclui a casa de análises Empiricus, a gestora Vítreo e os sites SeuDinheiro e Money Times.

A Levante ainda está bem longe de players como a Empiricus, com mais de 425 mil assinantes, mas a XP pretende alavancar suas operações plugando-a no seu portal Infomoney, na plataforma de educação Xpeed e nas corretoras do grupo como a Clear e a Rico. No mercado de assinaturas B2B, deverá incentivar o uso da Levante entre seus mais de 9 mil agentes autônomos.

Karel Luketic, sócio da XP Inc.

Luketik diz que a aquisição serve também para atender a uma demanda cada vez mais crescente entre investidores de varejo: a busca por análises independentes. O executivo afirma que a Levante atuará de forma separada e seu management continua o mesmo.

Mas, agora com o selo XP, terá de convencer o mercado da independência no dia a dia. A casa de análise está criando uma gestora de recursos e, provavelmente, deverá conectar seus produtos na plataforma do grupo XP, um canhão com 3 milhões de clientes e R$ 817 bilhões sob custódia.

A compra de parte da Levante acontece também para preencher espaço em um nicho de mercado. Com a Levante, a XP entra mais no varejo de research de ações de empresas brasileiras. Além disso, a empresa de Guilherme Benchimol já é sócia da Spiti, casa de análise de fundos de investimentos comandada por Luciana Seabra; e, recentemente, entrou na OHM Research.

Fundada por Roberto Attuch Jr., profissional tarimbado, com passagens pelo Credit Suisse e pelo Barclay’s, a OHM Research tem os olhos mais voltados para o mercado internacional e conta com um time de 60 analistas que já passaram pelos principais bancos globais. “Nesse cenário de o investidor começar a olhar fora do Brasil, com BDRs e ETFs, é fundamental”, diz Luketic.

Leia também