Inovação

Apoio

Waymo abre serviço ao público e pede passagem na corrida dos carros autônomos

Empresa da Alphabet, dona do Google, se torna a primeira companhia a oferecer viagens de curta distância em carros autônomos ao grande público. Usuários da cidade de Phoenix, no Arizona, já podem pegar “carona” nos veículos sem motorista

 

Serviço de “carona” da Waymo se chama Waymo One

Cinco anos depois de se ver seu primeiro carro autônomo dar carona a um passageiro em vias públicas, a Waymo se torna a primeira empresa a oferecer um serviço de transporte autônomo ao grande público, sem a necessidade da assinatura de termos de confidencialidade. 

Em comunicado divulgado na quinta-feira, 8 de outubro, o CEO da companhia, John Krafick, confirmou que o público da cidade de Phoenix, no Arizona, já pode embarcar nos carros equipados com a tecnologia da marca. 

Segundo o executivo, em um primeiro momento, apenas os usuários que já são cadastrados no Waymo One, como é chamado o serviço de transporte da empresa, serão atendidos. Ele ressalta, porém, que, nas próximas semanas, a tecnologia estará disponível aos demais interessados. 

Parte do portfólio de empresas da Alphabet, holding dona do Google, a Waymo já captou cerca de US$ 3 bilhões junto a fundos como Silver Lake Partners, Canada Pension Plan Investment Board, Mubadala Capital e T. Rowe Price.

Para usar o serviço da Waymo, basta baixar o aplicativo da companhia, disponível na App Store e Google Play. “No curto prazo, esperamos que nosso novo serviço, totalmente sem motorista, seja muito popular. Somos gratos aos passageiros por sua paciência enquanto aumentamos a disponibilidade para atender à demanda”, declarou Krafick.

O Waymo One funciona de uma maneira bastante parecida com a Uber: o usuário se cadastra no app, seleciona o endereço de partida e chegada, aprova o valor da corrida e aguarda o carro. A única diferença é que, no caso da Waymo, o carro é 100% operado por um computador.

Ao longo dos anos, esse sistema foi refinado pela companhia, que há tempos opera em Phoenix, transportando passageiros que assinaram termos de confidencialidade. 

“Alcançamos esse marco com a atenção e o cuidado que nossos passageiros esperam de nós. Melhoramos nossas políticas e procedimentos de saúde e segurança em toda a nossa frota; buscamos o feedback de nossa equipe, parceiros, passageiros, bem como autoridades federais, locais e estaduais, ao mesmo tempo em que continuamos a aprimorar as capacidades do Motorista Waymo”, afirmou o executivo, na nota.

A companhia não revelou detalhes sobre o preço do serviço, que tende a ser mais barato que os de suas concorrentes não-autônomas, como Uber e Lyft, que dizem reter entre 20% e 35% do valor da corrida.

Enquanto nenhuma dessas empresas se pronunciou sobre a novidade da Waymo, Elon Musk dedicou um tuíte ao caso. “A Waymo é impressionante, mas uma solução muito especializada. O approach da Tesla é uma solução geral. Nosso último modelo dispensará a intervenção de um motorista. Lançaremos a versão beta em algumas semanas”, disse o fundador e CEO da Tesla

Apesar de dizer que equipa sua frota com “piloto automático”, os carros da Tesla pedem a supervisão constante do motorista – o que não acontece nos modelos da Waymo.

A companhia liderada por Krafick “saiu de sua rota” ao responder a mensagem na rede de microblogs. “Sim, nós somos especialistas em zero intervenção do motorista. Olha só os adesivos que estão em nosso volante”, publicou a companhia, junto com a imagem dos volantes de modelos Jaguar e Chrysler com mensagens dizendo: “Por favor, mantenha suas mãos longe do volante. O ‘motorista’ Waymo está no comando o tempo todo”. 

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

 

Leia também

UM CONTEÚDO:

NEOFEED REPORT

Baixe o relatório “O mapa de ataque das grandes empresas”

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO