Negócios

LeBron James, um astro nos negócios do futebol e do beisebol

O jogador do Los Angeles Lakers é um dos novos acionistas do Fenway Sports Group (FSG), grupo que é dono do time de futebol inglês Liverpool e do de beisebol Boston Red Sox. Com o acordo, a holding de esportes foi avaliada em US$ 7,35 bilhões

 

O jogador de basquete LeBron James (Foto: AFP)

Aos 36 anos, LeBron James não se cansa de acumular marcas e recordes na NBA. Entre eles, ser quatro vezes campeão, ter sido eleito quatro vezes o jogador mais valioso da temporada (MVP) e ser, desde fevereiro, o terceiro maior pontuador da história da liga americana de basquete profissional.

Os números e estatísticas da estrela do Los Angeles Lakers não estão restritos, porém, às quadras de basquete, onde já se firmou como um dos maiores nomes da história. Com uma fortuna estimada em US$ 450 milhões, ele também faz seus lances no mundo dos investimentos.

O mais recente deles veio à tona nesta quarta-feira, 31 de março, e também se relaciona aos esportes. Como parte de um acordo capitaneado pela gestora americana RedBird Capital Partners, James passou a ser um dos mais novos acionistas do Fenway Sports Group (FSG).

Avaliado em US$ 7,35 bilhões no acordo, o FSG é dono do Liverpool, time da Premier League, a liga inglesa de futebol, e do Boston Red Sox, franquia da Major League Baseball. Fundado em 2001, o grupo atua ainda em segmentos como marketing e mídia, sempre com foco em esportes.

James já era acionista do Liverpool, clube inglês comandado pelo técnico alemão Jürgen Klopp e que se sagrou campeão mundial e da Champions League na temporada de 2019/2020. Com o anúncio, o jogador está trocando sua participação minoritária no time por uma fatia, também minoritária, no FSG.

“Nossa parceria estratégica com toda a equipe da RedBird ampliará nossa capacidade de buscar oportunidades de crescimento futuro de uma forma mais acelerada”, afirmou, em comunicado, Mike Gordon, CEO do FSG.

Sócio de LeBron James em suas incursões na área de investimentos, Maverick Carter acrescentou: “Trabalhar com o FSG na última década ensinou a mim e a LeBron muito sobre o negócio em uma escala global. E sempre acreditamos que isso levaria a algo maior.”

Segundo o jornal britânico Financial Times, antes de concluir o acordo, havia uma negociação em curso para que o FSG se tornasse uma companhia pública por meio de uma fusão com a RedBall, empresa de “cheque em branco” vinculada à RedBird Capital.

A RedBall levantou US$ 575 milhões na Bolsa de Nova York, em 2020, com o objetivo de comprar um ativo na área de esportes. Entre os idealizadores do projeto estão Gerry Cardinale, ex-executivo do Goldman Sachs, e Billy Beane, ex-dirigente de baseball e cuja história foi tema do livro “Moneyball – o homem que mudou o jogo”, que deu origem a um filme homônimo, estrelado por Brad Pitt.

A participação no FSG não é o único ativo no portfólio de LeBron James. Entre outras empresas, o jogador já investiu na NTWRK, plataforma americana de e-commerce, e na FaZe Clan, companhia também americana de eSports.

Leia também

Newsletter

Receba notícias do NeoFeed no seu e-mail

 
Li, compreendi e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade
do site.

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO

Newsletter

Receba notícias do NeoFeed no seu e-mail

 
Li, compreendi e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade
do site.