Com venda de US$ 290 milhões, Cielo turbina seu plano de desinvestimentos

A empresa vendeu sua fatia na americana Merchant E-Solutions, comprada, em 2012, por US$ 670 milhões, e supera a marca de R$ 1,8 bilhão em desinvestimentos desde o início de 2021

0
255
Leia em 2 min

Em janeiro de 2021, a Cielo deu início a uma estratégia de desinvestimentos de ativos nos quais tinha participação acionária. De lá para cá, a empresa conseguiu levantar aproximadamente R$ 314 milhões com esse plano.

Nesta sexta-feira, 18 de fevereiro, porém, a companhia fez seu maior movimento nessa direção. A Cielo anunciou a venda da totalidade das suas ações na empresa americana Merchant E-Solutions para a Sam I Acquisition Corp. uma subsidiária da Integrum Holdings L.P., por de até US$ 290 milhões (R$ 1,49 bilhão).

A Cielo havia comprado a Merchant E-Solutions em 2012, com um desembolso de US$ 670 milhões.

Pelos termos do acordo divulgado hoje, o valor envolve uma parcela fixa de US$ 140 milhões, a ser paga na data de fechamento da transação. Os US$ 150 milhões restantes referem-se a uma parcela variável, sujeita a determinadas condições firmadas entre as duas partes.

“A transação faz parte da estratégia crescente concentração da Cielo em seu core business no Brasil, em linha com outros desinvestimentos concluídos ao longo de 2021”, afirmou a Cielo, em fato relevante divulgado nesta manhã.

O pano de fundo para essa abordagem são os impactos do aumento da concorrência para a empresa, controlada pelo Bradesco e o Banco do Brasil, no mercado de meios de pagamento. Além desse desafio, a companhia também teve que lidar com questões como a renúncia de Paulo Caffarelli ao cargo de CEO, em maio do ano passado.

A Cielo iniciou sua estratégia de desinvestimentos ainda sob o comando de Caffarelli. A primeira venda envolveu a fatia de 40,95% que a companhia detinha na Orizon para a Bradseg Participações, em um acordo de R$ 128,9 milhões.

Em agosto do mesmo, já sob a gestão de Gustavo Sousa, foi a vez da empresa se desfazer da sua participação na Multidisplay, que foi vendida para a Bemobi, em uma transação de R$ 185 milhões.

A Cielo encerrou 2021 com uma receita líquida de R$ 11,6 bilhões, um crescimento de 4,5% sobre 2020. No período, o lucro líquido teve alta de 98%, para R$ 970,5 milhões.

As ações da companhia acumulam alta de 10,5% em 2022. A empresa está avaliada em R$ 6,8 bilhões.

Leia também

Brand Stories