Negócios

Em busca de “moedas fortes”, Neogrid mira crescimento além do Brasil

Com o caixa reforçado pelos R$ 486,5 milhões captados no IPO realizado em dezembro, a companhia de software quer ampliar sua carteira de clientes no exterior, que já responde por 20,2% de sua receita total e inclui contratos recentes com empresas como Kraft Heinz e Boehringer Ingelheim

 

A sede da Neogrid, em Joinville (SC)

Em dezembro de 2020, a catarinense Neogrid engrossou a lista ainda tímida de companhias de software listadas na bolsa de valores brasileira. Depois de carimbar seu passaporte na B3 e captar R$ 486,5 milhões no IPO, a empresa também está buscando ampliar os seus horizontes.

Dentro dessa orientação, um dos destaques é o reforço que está sendo dado aos negócios gerados no exterior, onde a empresa já tem clientes em mercados como Reino Unido, França, Alemanha, Portugal, Espanha, México, Colômbia e Chile.

“Essa estratégia comercial internacional é muito importante para nós”, afirmou Eduardo Ragasol, CEO da Neogrid, em conferência de resultados do primeiro trimestre com analistas, nesta terça-feira. “Estamos trazendo cada vez mais moedas fortes para o nosso resultado.”

Baseado na oferta de softwares como serviço, o modelo da Neogrid inclui uma plataforma que conecta os sistemas de gestão (ERP) de indústrias, fornecedores, distribuidores e varejistas. Essa ferramenta dá visibilidade dos estoques e das vendas, o que permite ajustar a produção, a distribuição e a reposição nas prateleiras, de acordo com o ritmo de consumo.

Atualmente, o mercado internacional já responde por 20,2% da receita total gerada pela Neogrid a partir desse formato. E o plano para crescer a participação do exterior nesse bolo passa, principalmente, pela extensão dos contratos atendidos no Brasil a outras geografias.

Nessa linha, Ragasol destacou duas conquistas recentes da Neogrid. A primeira delas é a farmacêutica alemã Boehringer Ingelheim, que assinou um novo contrato com a companhia para conectar suas operações com distribuidores em cerca de 30 países.

A segunda assinatura em destaque envolve a Kraft Heinz, que irá adotar as soluções da empresa brasileira na América do Norte e na Europa. “Os clientes bem atendidos no Brasil já viraram motores do nosso crescimento fora do País”, observou Ragasol.

Outro passo que está sendo reforçado na companhia é a estratégia comercial baseada em segmentação. A Neogrid já mapeou sete mercados-alvo, que estão sendo explorados com ofertas específicas.

Além de bens de consumo, segmento pelo qual a empresa é mais conhecida, integram a lista os setores do agronegócio, farmacêutico, moda, eletroeletrônicos, casa & construção e, mais recentemente, artigos de pet.

Eduardo Ragasol, CEO da Neogrid

Esse viés inclui ainda uma atenção especial aos segmentos de e-commerce e a possibilidade de estruturar a oferta de produtos e serviços financeiros para todas essas cadeias, a partir da massa de dados gerada pela plataforma. “Estamos atacando cada elo dessa matriz de segmentação”, disse Ragasol. “Com isso, temos um mercado muito mais amplo, dentro e fora do Brasil.”

Os planos também passam por uma agenda de aquisições. Antes da oferta pública, a Neogrid já tinha um histórico de 14 acordos desde a sua fundação, em 1999. “Temos um pipeline robusto de aquisições pela frente”, ressaltou o executivo.

Depois do IPO, o primeiro movimento nessa direção veio em março, com a compra da Smarket, empresa dona de uma plataforma de criação de promoções no ponto-de-venda. A operação envolveu um desembolso inicial de R$ 8,5 milhões e prevê ainda uma parcela adicional, no mesmo valor, em 360 dias. Segundo o executivo, o processo de integração já está na fase das estratégias comerciais.

“Vamos usar nossa máquina de vendas para enviar as propostas da Smartek a todos os segmentos que trabalhamos, começando pelo elo do varejo nessas cadeias”, afirmou. “Posteriormente, vamos analisar as sinergias de produto e tecnologia.”

Primeiro trimestre

 Entre janeiro e março, a Neogrid reportou um lucro líquido de R$ 6,3 milhões, um desempenho 117,5% superior ao registrado no primeiro trimestre de 2020, quando a empresa divulgou um lucro líquido de R$ 2,9 milhões.

No período, a receita líquida cresceu 15,2%, para R$ 58,3 milhões. Enquanto o ebtida ficou em R$ 14,3 milhões, o que representou um salto de 16,9%.

As ações da Neogrid acumulam uma alta de 8,8% em 2021 e de mais de 72% em relação ao IPO da companhia, levando-se em conta a cotação do pregão da segunda-feira. Hoje, no entanto, os papéis da empresa estavam sendo negociados em queda de mais de 5% na B3, por volta das 12h20.

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO