Mais uma “obra” de Elon Musk: startup de casas modulares ganha fila de 50 mil clientes

Depois de o bilionário à frente de Tesla e SpaceX revelar que estava morando em uma casa de 36 metros quadrados da Boxabl, a startup, que fabricou apenas três moradias, viu a lista de clientes explodir. E, agora, quer captar US$ 50 milhões

0
159
Leia em 3 min

A Casita, modelo do portfólio da Boxabl

O script já é conhecido. Bastam poucas palavras – muitas vezes, apenas uma, precedida por uma hashtag – e pronto. Mais um tuíte de Elon Musk se propaga com uma velocidade e impacto capazes de acionar o rali de uma determinada ação ou de fazer a cotação do bitcoin derreter ou ir às alturas.

O americano Galiano Tiramani vem testemunhando de perto esse poder de influência do bilionário à frente da Tesla e da SpaceX. Cofundador da Boxabl, ele viu a lista de espera das casas pré-fabricadas da startup disparar e chegar a 50 mil pessoas nas últimas semanas.

O gatilho foi uma postagem de Musk, no fim de junho, revelando que havia se mudado para uma casa fabricada pela empresa, no valor de US$ 50 mil. Com sala, quarto, cozinha e banheiro distribuídos em 36 metros quadrados, a tal moradia está instalada na base de testes da SpaceX, em Boca Chica, no sul do Texas.

“É emocionante. As coisas estão acelerando rapidamente para nós”, afirmou Tiramani, em entrevista ao portal americano Business Insider. “Isso, certamente, nos ajuda, ter mais olhos sobre nós.” Olhos e cliques. Nesse mesmo intervalo, o perfil da startup no Instagram chegou a 59 mil seguidores.

Agora sob os holofotes, a Boxabl ainda tem, de fato, pouco a mostrar. Fundada em 2017, em Las Vegas, por Tiramani, seu pai, Paolo, e Kyle Denman, a startup passou mais de dois anos fazendo testes e protótipos até lançar seu primeiro modelo, batizado de Casitas, em 2020.

Com um modelo baseado em construções modulares e a proposta de erguer imóveis de baixo custo, a empresa tem um galpão de 15 mil metros quadrados, em Las Vegas, voltado à produção em massa. O local abriga cerca de 20 funcionários, boa parte deles administrativos, e, até hoje, a companhia fabricou e entregou apenas três casas.

Seus fundadores, entretanto, já estão se movimentando para aproveitar o burburinho e o interesse gerados pelo tuíte de Musk. Segundo um documento protocolado em julho na Securities and Exchange Commission (SEC), a Boxabl está buscando uma capitalização de US$ 50 milhões.

Segundo Tiramani, a empresa não quer buscar, no entanto, esses recursos junto a investidores tradicionais, mas sim por meio de um financiamento coletivo. O registro da SEC mostra ainda que a novata teve um prejuízo de US$ 1,16 milhão, em 2020, e de US$ 707 mil, um ano antes.

“Estou conversando com fundos de capital de risco, mas isso é algo que não temos que fazer”, disse Tiramani. “A situação é melhor com investidores individuais. Seguimos com controle total e dando as cartas.”

Com essa visão e sob o impulso da influência de Musk, Tiramani traça os próximos passos na construção do caminho da Boxabl. E eles são ambiciosos.

“Assim que essa fábrica estiver validada, vamos escalá-la e investir em automação, como a que se vê em fábricas de automóveis”, afirmou Tiramani. “A Ford produz uma F-150 a cada 53 segundos. Não há razão para que alcancemos esse mesmo nível.”

Leia também