Elon Musk, o palpiteiro mais valioso das redes sociais

Quase tudo o que o fundador da Tesla e da SpaceX tuíta vira “ouro” ou se transforma em polêmica, mostrando o seu poder de influência com os seus mais de 44 milhões de seguidores. O exemplo mais recente foi acrescentar a palavra #bitcoin em sua bio na rede social e a moeda virtual se valorizar 20%

0
420
Leia em 4 min

Elon Musk dança em lançamento da fábrica da Tesla, em Xangai, no ano passado

O empresário Elon Musk, fundador da Tesla e da SpaceX, só colocou a palavra #bitcoin em sua bio no Twitter. Foi o que bastou para a criptomoeda se valorizar 20%. De acordo com o site Coin Desk, que monitora o preço, ela chegou a ser vendida a US$ 38.020, uma alta de US$ 5 mil, o maior valor em 10 dias.

No mês passado, Musk já havia expressado interesse em converter grandes transações do balanço patrimonial da Tesla em operações de bitcoin em uma conversa via Twitter com Michael Saylor, CEO da MicroStrategy, empresa de inteligência de negócios, e um dos grandes entusiastas da criptomoeda.

O caso escancara o poder de influência do CEO da Tesla. Com 44 milhões de seguidores no Twitter, ele consolidou uma imagem de líder visionário, polêmico e capaz de compartilhar informações de negócios, visões políticas, pensamentos íntimos e memes com a mesma facilidade. Para ter uma ideia de seu alcance, as contas oficiais de suas empresas Tesla e SpaceX, somadas, não têm metade do número de seguidores.

A capacidade de Musk atrair seguidores e influenciar decisões de negócio é motivo de análise. Além de estar à frente de duas empresas que oferecem tecnologias bastante inovadoras, ele cultiva uma personalidade carismática e polêmica. Já apareceu em um podcast fumando maconha e é casado desde 2018 com a cantora canadense Grimes. Cada movimento seu é acompanhado pelos fãs e discutido em sites de negócios e de celebridades.

Exemplos da capacidade de influenciar o mercado não faltam. O caso do bitcoin é o terceiro apenas nesta semana. Em meio à polêmica envolvendo a valorização das ações da GameStop, ele postou a palavra “Gamestonk!” (um trocadilho que remete ao nome da empresa e à expressão “stonk”, que, por sua vez, é outro trocadilho com “stock”) e um link para o fórum do Reddit em que usuários discutiam investimentos. A publicação ajudou a valorizar ainda mais as ações da GameStop, que estão no centro da polêmica envolvendo investidores de varejo e institucionais.

Na quinta-feira, 28 de janeiro, ele escreveu que havia gostado do game “Cyberpunk 2077”, desenvolvido pela empresa polonesa CD Projekt. Imediatamente, as ações da companhia valorizaram 12,6%. O feito é mais surpreendente considerando que o lançamento do jogo foi um dos mais problemáticos dos últimos anos. Depois de anos de produção, chegou ao mercado com a promessa de ser um dos títulos mais revolucionários da história, mas a enorme quantidade de problemas fizeram com que o game fosse retirado de lojas online e devolvido por jogadores.

Há outro exemplo ainda mais bizarro. Após escrever incentivando seus seguidores a usar o aplicativo de mensagens criptografadas Signal, investidores correram para comprar ações – mas se engaram e acabaram fazendo com que os papéis de uma pequena fabricante de equipamentos médicos que nada tinha a ver com a história passassem de apenas US$ 0,60 para US$ 70,85. Foram dias até que os investidores percebessem o erro.

Seu poder de influência também afeta a volatilidade do preço das ações da própria empresa, para o bem e para o mal. Em 2018, Musk foi multado em US$ 40 milhões pela Securities and Exchange Commission (SEC), o órgão regulador do mercado nos Estados Unidos, depois que escreveu que estava pensando em tornar a Tesla uma empresa privada e vender as ações a US$ 420.

O empresário acabou fechando um acordo com a SEC para que seus posts sobre as finanças fossem aprovados por um advogado da empresa antes da publicação. Esse acordo, no entanto, não foi suficiente para impedir Musk de falar o que pensa. Em maio de 2020, ele escreveu que o preço das ações da Tesla estavam muito caras, em sua opinião. O mercado respondeu imediatamente e elas caíram mais de 10%.

As movimentações nas redes sociais, motivadas principalmente pelo caso da rede GameStop, estão fazendo com que as agências reguladoras internacionais se debrucem sobre o tema. As discussões ainda estão longe de chegar a um consenso, mas a ação orquestrada pelos usuários do Reddit podem ser enquadradas em manipulação de mercado.

Antes de uma ação oficial, o aplicativo Robinhood, que ficou famoso por democratizar o acesso a Wall Street, bloqueou ou limitou o acesso de seus usuários a ações como a GameStop, AMC, BlackBerry e Nokia, entre outras. A atitude foi criticada nas redes sociais, mas o CEO da Robinhood, Vlad Tenev, afirmou que uma medida para proteger a empresa e seus clientes.

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também

Brand Stories