Na compra da Movidesk pela Zenvia, ABSeed garante retorno de seu 1º fundo

Com a transação, a gestora de venture capital conseguiu retornar todo o capital comprometido de seu primeiro fundo, de aproximadamente R$ 40 milhões

0
706
Leia em 3 min

Sede da Movidesk, em Blumenau (SC)

Em sua segunda aquisição desde que abriu o capital na Nasdaq, em julho deste ano, quando captou US$ 200 milhões, a Zenvia está comprando a catarinense Movidesk, em um negócio cujo valor não foi revelado.

Mas há um discreto personagem que está também comemorando a transação. É a gestora de venture capital ABSeed, especializada em investir em empresas de software as a service (Saas), que apostou na Movidesk em 2019, e está conseguindo um retorno de mais de dez vezes com a venda.

O retorno alcançado supera também todo o capital comprometido do primeiro fundo da ABSeed, de aproximadamente R$ 40 milhões, que conta ainda com 10 startups e inclui nomes como Aegro, Asksuit, Conta Simples e SWAP, entre outras empresas.

“Essa é nossa primeira saída e ela retorna todo o fundo”, diz Geraldo Melzer, sócio da ABSeed, ao NeoFeed. “Nosso objetivo, no entanto, é trazer um retorno de quatro vezes.”

Além da ABSeed, a Redpoint eventures e a WOW Aceleradora, de Porto Alegre, faziam também parte da base de acionistas da Movidesk, uma plataforma de helpdesk para gestão e atendimento de clientes fundada em Blumenau (SC) pelo empreendedor Donisete Gomes, em 2018.

A Movidesk tem um receita recorrente anual de R$ 40 milhões, cerca de 2,3 mil clientes que pagam um preço R$ 800 e R$ 1.000 por mês para usar sua plataforma online. O foco são pequenas e médias empresas, mas a startup conta com clientes como Mercado Livre, Unilever, Intelbras, Unimed e Reserva.

O que chamou a atenção da Zenvia foi uma métrica que não é tão conhecida: a net negative revenue churn, quando a nova receita dos clientes existentes é maior do que o valor da receita que a empresa perde por cancelamentos. “Na prática, se ela não conquistar nenhum cliente, ela consegue ainda crescer de 20% a 30% por ano”, afirma Franco Zanette, sócio da ABSeed.

Como isso é possível? Os clientes que permanecem passam a gastar mais, aumentando o número de usuários que usam a plataforma ou contratando features adicionais, como WhatsApp. Nos últimos três anos, a Movidesk teve uma crescimento médio anual de receita de 130%.

A ABSeed já encerrou a fase de investimentos de seu primeiro fundo. Agora, ela está na campanha de um novo fundo que deve chegar a R$ 150 milhões. Dois investimentos já foram realizados: na Gedanken, startup de onboarding e gestão de risco de fornecedores; e na SafeSpace, plataforma de gestão de denúncias de más condutas em empresas.

A equipe da ABSeed (da esquerda para direita): Felipe Coelho, Franco Zanette, Geraldo Melzer e Marcelo Hoffmann

A venda da Movidesk mostra o quão aquecido está o mercado de SaaS na América Latina. De acordo com a MarketWatch, ele deve faturar US$ 5,3 bilhões em 2022 na região.

Em março deste ano, a Totvs comprou 92% da RD Station por R$ 1,8 bilhão, uma das principais empresas de marketing do Brasil. Na época, a companhia fundada por Laércio Cosentino pagou um múltiplo de quase 10 vezes a receita projetada para 2021.

A Zenvia, que atua com tecnologia especializada em soluções de comunicação entre empresas e consumidores, vale US$ 301 milhões na Nasdaq. Desde o IPO, suas ações caem mais de 40%.

Fundada em 2004, a Zenvia atua também na Argentina e México e atende cerca de 10 mil clientes. Sua primeira aquisição pós-IPO foi a da SenseData, cuja solução avalia o comportamento dos clientes, oferecendo insights para as empresas a partir do uso de dados.

Leia também

Brand Stories