Negócios

Nos EUA, a GM adverte: estacione seu Bolt na rua, pois ele pode pegar fogo

O modelo é a principal aposta da montadora americana na categoria de carros elétricos e o alerta envolve as versões de 2017 a 2019, que já haviam participado de um recall anunciado em novembro. No Brasil, as unidades vendidas não são afetadas

 

No Brasil, foram vendidas 108 unidades do modelo em 2020

A General Motors (GM) é uma das montadoras que mais têm investido em veículos elétricos no mundo. O Bolt, a principal aposta da companhia para o segmento, foi o segundo modelo da categoria mais comprado pelos brasileiros em 2020 e tem os Estados Unidos como o seu maior mercado consumidor no mundo.

Lá fora, porém, a segurança do Bolt está em xeque. Após dois deles pegarem fogo nos EUA, a GM divulgou um comunicado no qual recomenda a todos os donos do modelo que fizeram parte de um recall anunciado em novembro – com versões de 2017 a 2019 – que estacionem seus automóveis ao ar livre e não os deixem carregando durante a noite, enquanto a empresa investiga o que houve.

A GM ressalta que esta é uma medida de “muita cautela” e informa que os dois automóveis que pegaram fogo recentemente estão entre os que passaram por reparos após o recall em novembro, que convocou um total de 69 mil unidades, das quais, 51 mil foram vendidas no mercado americano.

O recall foi anunciado à época porque a montadora havia recebido relatos de cinco incêndios relacionados à bateria dos carros. Em outubro, uma investigação já havia sido aberta pela Administração Nacional de Segurança do Tráfego Rodoviário, dos Estados Unidos.

Quando chamou o recall, a montadora havia descoberto que as baterias estavam totalmente carregadas ou com a carga quase completa nos incêndios registrados até então. Por isso, os motoristas que levaram seus carros para reparo tiveram a capacidade de carregamento das baterias limitada a 90%, enquanto a companhia buscava uma solução.

No último comunicado, a GM informou que novas ferramentas de software de diagnóstico foram desenvolvidas para procurar possíveis irregularidades na bateria antes que qualquer problema ocorra. Quando os carros afetados recebem o novo software, o limite de 90% é removido.

Procurada pelo NeoFeed, a GM do Brasil ressaltou que a recomendação da empresa não afeta aqueles que compraram um Bolt por aqui. O modelo só começou a ser vendido no mercado brasileiro no ano passado. No período, foram comercializadas 108 unidades no País. No acumulado de 2021, o volume está em 79 veículos.

Já nos Estados Unidos, a montadora, avaliada em US$ 82,6 bilhões, reportou um total de quase 20,3 mil unidades do modelo vendidas no primeiro semestre desse ano, o que representou um crescimento de 142,4% sobre o volume comercializado em igual período, um ano antes.

A GM, vale dizer, não é a única que tem enfrentado problemas relacionados à bateria de carros elétricos. Ford, Hyundai e BMW também emitiram recalls para novos modelos movidos a energia elétrica nos últimos meses.

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO