XP Inc. entra em venture capital com Romero Rodrigues

As empresas de Guilherme Benchimol e Romero Rodrigues, dois dos maiores empreendedores brasileiros, se unem no fundo Headline. A meta: investir em 30 startups

0
404
Leia em 3 min

Da esq. à dir., Guilherme Benchimol, fundador e chairman da XP Inc.; Romero Rodrigues, da Headline; e Thiago Maffra, CEO da XP Inc.

Em dezembro do ano passado, o NeoFeed contou os planos da Headline, gestora de venture capital liderada por Romero Rodrigues, que havia encerrado a sociedade na Redpoint eventures. Um dos grandes desafios levantados como crucial para Rodrigues era captar recursos no momento em que os juros sobem no mundo inteiro.

Mas Romero Rodrigues, um dos primeiros fundadores a ganhar dinheiro com tech no Brasil ao criar o Buscapé, em 1998, e vende-lo para a sul-africana Naspers por US$ 342 milhões em 2009, arrumou o sócio ideal quando de trata de funding. Ele acaba de anunciar a XP Inc. como sócia no fundo da Headline.

Trata-se da entrada da empresa de Guilherme Benchimol, hoje com R$ 815 bilhões de ativos sob custódia, no mundo de venture capital. Simboliza também a união de dois empreendedores brasileiros que construíram negócios bilionários a partir do zero.

Agora, Benchimol e Rodrigues, que conhecem os dois lados da moeda – as dificuldades de escalar uma empresa e disruptar mercados – vão investir em novos empreendedores com startups que possam escalar e valer bilhões de dólares.

“Começamos a conversar em outubro do ano passado”, diz Rodrigues ao NeoFeed. “A nossa ideia é democratizar o acesso a venture capital para todos os investidores, popularizar essa classe de ativos.” Gustavo Pires, sócio de Asset Management Servicesda XP Inc., diz ao NeoFeed que o grupo pretende usar a rede de 9 mil agentes autônomos para isso.

“Vamos trazer tanto os investidores institucionais como as pessoas físicas”, afirma Pires. “Tem tudo para ser um dos maiores fundos do Brasil.” Mais do que isso: os agentes autônomos também “trabalharão como olheiros” identificando startups que estão surgindo próximas do ecossistema da XP.

Rodrigues explica ainda que a sociedade traz outras sinergias que vão além da captação. “A XP tem um pilar de educação que ajuda os empreendedores. Vamos fornecer conteúdo EAD para os líderes das investidas. Além disso, a Headline Global conta com uma robusta plataforma tecnológica.”

Os sócios internacionais, Jeff Brody, fundador da Redpoint, e Mathias Schilling, fundador da Headline, antiga e.ventures, seguirão no comitê de investimento da gestora. O NeoFeed apurou que a meta do fundo é captar cerca de US$ 150 milhões. Fontes do mercado consideram esse novo fundo uma sequência dos dois primeiros levantados pela Redpoint eventures, que somaram US$ 300 milhões, mas agora com sócios diferentes.

Nos dois primeiros fundos da Redpoint eventures, que tinha como sócios Anderson Thees e Manoel Lemos, a gestora investiu em 50 startups. Entre elas, unicórnios como Rappi, Creditas, Gympass e Olist. Segundo Rodrigues, esses fundos têm rendido retornos de, em média, 25% ao ano.

Os dois primeiros fundos serão mantidos até as saídas dos investimentos. Nos últimos tempos, foram várias. Só em 2021, foram seis desinvestimentos. Entre eles, a RD Station, comprada pela Totvs, e a Repassa, adquirida pela Lojas Renner.

A gestora vendeu também suas posições na Memed, para a DNA Digital; na Gesto, para a Dasa; na Minuto Seguros, para a Creditas; e na Passei Direto, para a UOL EdTech. Em 2020, a Redpoint eventures saiu também da Antecipa, comprada, curiosamente, pela XP.

O fundo da Headline em sociedade com a XP deverá focar em investimentos de early stage e séries A e B. “Pretendemos investir em até 30 negócios diferentes por meio desse fundo. É um passo importante para o mercado de inovação brasileiro e estamos apenas no começo. Queremos conversar com milhares de startups brasileiras”, afirma Thiago Maffra, CEO da XP Inc.

Leia também

Brand Stories