Mais um passo: acionistas da BRMalls e Aliansce Sonae aprovam fusão

União, que deve criar a maior administradora de shopping centers da América Latina, com valor de mercado de R$ 12 bilhões, ainda precisa ser ratificada pelo Cade

0
0
Leia em 3 min

O Shopping da Bahia, em Salvador, é administrado pela Aliansce Sonae

Depois de passar pelo crivo do conselho de administração da BRMalls, a proposta de fusão feita pela Aliansce Sonae foi aprovada pelos acionistas das duas companhias nesta quarta-feira, 8 de junho, em uma operação que promete criar a maior administradora de shopping centers da América Latina. 

“Movimentos de união como este trazem ganhos para todos – clientes, parceiros, acionistas e consumidores”, diz um trecho de carta assinada por Rafael Sales, CEO da Aliansce Sonae e Ruy Kameyama, CEO da BRMalls.

A conclusão da operação ainda depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Quando a BRMalls anunciou que concordava com os termos da operação, no fim de abril, os executivos das duas empresas estimaram finalizar todo o processo entre o fim deste ano e início do próximo. 

Se seguir adiante, a operação resultará na criação de uma companhia com valor de mercado de R$ 12 bilhões, dona de 69 shopping centers com cerca de 13 mil lojas, que recebem aproximadamente 60 milhões de visitantes por mês.

O portfólio de shopping centers da BRMalls soma uma área bruta locável (ABL) total de 1,2 milhão de metros quadrados, enquanto a Aliansce Soane possui um ABL total de 1,4 milhão de metros quadrados. 

As empresas estimam que a união resultará num player que movimenta R$ 38,5 bilhões em vendas anuais, permitindo competir com os principais nomes do e-commerce. Ele terá o terceiro maior GMV do varejo, atrás de Mercado Livre, com R$ 48 bilhões, e Magazine Luiza, com R$ 44 bilhões. 

A aprovação dos acionistas representa mais uma etapa do processo, que começou a ser costurado pela Aliansce Sonae no fim do ano passado. Antes arredio a um acordo, argumentando que as primeiras propostas não refletiam o valor real de seus ativos e não geravam valor aos acionistas, a BRMalls acabou dando seu aval à combinação.

O sinal positivo veio após a Aliansce Sonae apresentar uma terceira proposta de combinação de negócios, em 18 de abril, quando ofereceu aos acionistas da BRMalls o pagamento de R$ 1,25 bilhão em dinheiro e a entrega de 326.339.911 ações, equivalente a 55,13% do capital social da companhia combinada.

A proposta embute um prêmio de 25,3% em relação ao preço em que as ações da BRMalls fecharam no dia anterior à divulgação da primeira proposta, em 13 de janeiro. 

A BRMalls está sendo assessorada pelo Itaú BBA e pelo escritório de advocacia Spinelli Advogados. A Aliansce Sonae conta com o BTG Pactual como assessor financeiro e o Barbosa Müssnich Aragão – BMA como assessor jurídico.

As ações da Aliansce Sonae fecharam o dia com alta de 1,14%, a R$ 18,67. No ano, elas acumulam queda de 9,4%. Os papéis da BRMalls avançaram 1,07%, a R$ 8,54, acumulando em 2022 alta de 6,9%.

Leia também

Brand Stories